Pular para o conteúdo principal

Filme | A Vida Secreta de Walter Mitty

Olá, tudo certo por ai?


                Depois de sumido por uma semana (ou mais), por culpa da Senhora Faculdade e suas provas, trabalhos e entrega de projetos, volto e trago minhas impressões e minha (des)análise do filme A Vida Secreta de Walter Mitty. Bom, vejamos primeiro a ficha técnica:

Título Original: The Secret Live of Walter Mitty
Lançamento: 20 de Dezembro de 2013
Com: Ben Stiller, Sean Penn, Kristen Wiig, Patton Oswalt e mais
Dirigido por: Ben Stiller
Duração: 114 minutos
Gênero: Aventura, Comédia, Drama
Sinopse: Walter Mitty (Ben Stiller) é o responsavel pelo departamento de arquivo e revelaçao de fotografias da tradicional revista Life. Ele é um homem tímido, levando uma vida simples, perdido em seus sonhos. Ao receber um pacote com negativos do importante fotografo Sean O’Connell (Sean Penn), ele percebe que está faltando uma foto. O problema é que trata-se justamente da foto escolhida para ser a capa da ultima edição da revista. É quando, Walter, com o apoio de Cheryl (Kristen Wiig) é obrigado a embarcar em uma verdadeira aventura.




                Esse filme tem uma história curiosa comigo, desde que foi lançado eu queria assistir, mas nunca me esforcei pra isso. Tanto é que a torrent dele ficou adicionada por meses e eu não baixei, e quando finalmente resolvi baixar a torrent deu erro, e esqueci ele por meses.
                Sempre procuro um filme no Legendas.tv (Jabá gratuito amizades). Vou à aba filme, e vejo quais já foram legendados, e lá estava ele Walter Mitty, sempre chamando a minha atenção e eu fingindo não ver. Até que semana passada, tomei vergonha na cara e baixei. E posso afirmar de inicio, que não me arrependi.
                A história, em certos pontos, se contrasta com a minha. Alguns amigos e eu estamos planejando um mochilão de bike até o Chile, ou até onde der, nas férias de janeiro. Já é um projeto antigo, e esse filme me fez ter mais vontade ainda de colocar a mão na massa, digo, colocar os pés nos pedais, e ir adiante.
                Mas falarei um pouco da história agora, um pouco mais do que a sinopse. Ela gira em torno de Walter Mitty, um cara de 40 e poucos anos, que cuida da parte dos negativos de fotos de uma revista. Durante o filme Walter sempre tem “apagões” da realidade, onde ele imagina coisas fantásticas, pra sair da sua vida sem graça. Até o dia que ele recebe a noticia de que a empresa foi vendida, e mudanças vão acontecer. A revista deixará de ser impressa e se tornara online. Mas antes, ela terá sua ultima versão impressa, onde Walter é o responsável pelo negativo da foto da ultima capa, na qual o chefe mandou pra ele, mas ele supostamente teria perdido.
                Walter também tem uma paixão por uma colega de trabalho, colega essa que vai ajudar Walter na busca pelo negativo perdido (um bom nome de filme não?! O Negativo Perdido – Breve nos cinemas). Walter então vai em busca do chefe/dono (ou ex-chefe/dono) em uma viagem sensacional.
                Walter vive tantas aventuras que em certo momento da viagem, seus “apagões”, suas fugas da realidade se tornam algo raro, quase inexistente. Essas viagens em busca do chefe e do negativo, transformar Walter em um novo cara.
                Resumidamente, é essa a história do filme (achei a sinopse muito vaga). Dos últimos filmes do Ben Stiller que eu assisti esse foi com certeza o melhor. Pensando bem, não lembro de um filme bom com o Ben Stiller ... olhando google ... Eu gosto daquele em que ele vai conhecer o sogro e tal, mas outra hora eu falo desse ai.
                Voltando pro nosso amigo Walter. Esse foi um daqueles filmes que eu senti vontade de bater palmas em alguns momentos, não pela história ou por suas reviravoltas, mas sim pelos sentimentos que ele conseguiu me trazer. Eu ri durante o filme, eu gargalhei em algumas cenas (eu sou bobo, eu dou risada de bobagens, não me levem a sério). Já em outras partes eu fiquei emocionado (não preciso repetir que sou bobo né?!).
                Enfim, foi um filme que me agradou muito, eu recomendo.

Minha nota para esse filme é:
✬ 4 Estrelitchas 

Bah: Sim, eu baixo filme por torrent, as vezes.

E você já assistiu A Vida Secreta de Walter Mitty? O que achou? Se ainda não viu, de uma chance ao Walter e depois não poupe seu teclado, deixe um comentário dizendo o que achou...
@raulqsg

Comentários

  1. tipo eu gostei do filme, mas não fi algo mega incrível e é de se esperar q por causa desse autor o filme fosse quase épico xp
    mas é legal pra passar um tempo essa história.

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho tanta expectativa assim por causa do Ben Stiller, mas foi um dos poucos filmes que eu assisti esse ano que eu realmente gostei. Gostei tanto que deixei passar alguns furinhos na história hehe

      Excluir
  2. Não sou tão fã assim do Ben, porém admiro muito ele. O porém é que ele fez muitos filmes sem graça, que não mostram o quanto ele é bom no que faz. Nesse filme ele é o diretor, então tenho mais vontade ainda de assisti-lo.
    Sua ideia é muito interessante, mas eu não me arriscaria. Mesmo assim, imagine como seria? Difícil, mas algo para nunca se esquecer.
    photo-and-coffee.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não sou fã dele como ator, admiro ele por algumas entrevistas que ele deu, mas isso no tempo que a MTV era boa hehehe...
      Um mochilão é sempre arriscado, porém é uma experiencia única, e se feito ao lado de bons amigos então....

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Eu vi o pôster desse filme e ele não me remeteu a nada. Sei lá, nem chama a atenção, nem faz a gente ter vontade de assistir, mas lendo sua resenha as coisas mudaram, acho que deve ser um filme legal pelo jeito, vou tentar assistir pra ver se essa primeira impressão do pôster desaparece.

    Bjks
    Sam
    Biblioteca Empoeirada

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever