Pular para o conteúdo principal

Resenha | Milagre na Rua 34 - Valentine Davies

Editora: Acigi
Páginas: 117
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 1947 com o título de Miracle on 34th Street

Milagre na Rua 34 é um livro inspirador, que conta a história de uma menina que foi criada para não acreditar em milagres. Mas quando aparece em sua cidade um velhinho que afirma ser o verdadeiro papai noel, seu ponto de vista se transforma completamente.


Creio que a geração anos 90 já deva ter visto essa adaptação para o cinema, porém, creio que poucos conhecem o livro. Eu só o conheci pesquisando leituras natalinas.

Um livro escrito nos anos 40 que já trazia as preocupações que temos hoje, como pode-se ver no parágrafo abaixo:

" - A senhora sabe, Sra. Walker. Durante os últimos 50 anos, mais ou menos, tenho me preocupado cada vez mais com o Natal. Parece que estamos todos tão ocupados tentando vencer os outros e fazer as coisas andarem mais depressa e brilhar mais e custar menos, que o Natal e eu parecemos estar perdidos no tumulto."

O Natal cada vez mais comercializado e menos familiar. Por vezes parece até que brigamos mais nessa época do ano, ficamos mais estressados e esse livro tenta mostrar o lado lúdico do Natal, a bondade e a magia.

Kris Kringle é um velhinho (que não fala sua idade) que está sendo expulso do abrigo onde mora porque acredita ser o papai noel, logo, tem problemas mentais e não pode ficar lá. Com isso, acaba indo passear na Macy's, loja famosa dos Estados Unidos e arruma um emprego de Papai Noel,

Mesmo empregado pela loja, informa às mães que levam os filhos para ber o bom velhinho onde podem encontrar ofertas de brinquedos melhores que a da loja. Numa atitude natalina que acaba, aos poucos, tomando conta da cidade. Ajudar os clientes a encontrarem as melhores ofertas, acaba se tornando uma estratégia excelente de marketing.

Como foi expulso de seu abrigo, acaba indo parar por uma noite com sua nova chefa. E lá, conhece sua filhinha, Susan, que não acredita no Natal e tem uma visão muito cética do mundo com seus míseros 6 aninhos de idade. Assim se inicia uma busca pela volta da magia do Natal.

É um livro sonoro, a medida que ia lendo, pude ver como seria uma excelente leitura para se fazer para crianças, nessa época natalina. Um livrinho curto, mas fofo. 

E você, já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog no GFC e @alpargatas13

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever