Pular para o conteúdo principal

Resenha | Divergente - Veronica Roth



Trilogia Divergente - Livro 1
Editora: Rocco
Páginas: 502
Estrelas: 5/5
Skoob
- Publicado originalmente em 2011 com o título de Divergent.

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.



Muito tempo se passou desde a última vez que eu peguei um livro e literalmente não conseguia largar, até que peguei Divergente. Ele já estava nos meus planos de leitura porque ouvi muita gente boa falando que era excelente, mas não tinha uma data definida para ele. Até que antes do Natal, fomos numa livraria aqui de Cruz Alta e lá estava ele.

Eu terminei a leitura de "O Grande Gatsby" pelas 3hrs da madrugada e comecei direto em Divergente, e continuei lendo até que o sono me venceu pela manhã. Faltavam ainda umas 100 páginas, mas eu já não conseguia visualizar as palavras na página. Então, fui dormir, assim que acordei segui na leitura até terminar e depois fiquei azucrinando a mãe para ela ler também e eu poder conversar com ela sobre o livro. SIM, esse livro é bom mesmo!

O livro segue Beatrice Prior, nascida na Abnegação. Ela fez 16 anos e vai passar pelo teste e terá que escolher se permanece com sua família ou muda de facção. A divisão das facções é bem interessante, por exemplo, pessoas da Abnegação acreditam que o maior mal da humanidade é o egoísmo, membros da Erudição creem que o maior mal é a ignorância, e assim por diante. Assim, cada facção cultiva a virtude que lhe dá nome.

Em cada facção, tudo é diferente. A maneira de se vestir, de usar o cabelo, a decoração da casa, a maneira de falar, de se portar, de interagir com as outras pessoas. E a facção determina também sua profissão futura. Membros da Audácia se tornam responsáveis pela segurança da cidade e integrantes da Franqueza são profissionais da justiça.

Existem também os sem-facção. Eu pensei neles como uma analogia para os sem-teto. Quem não passar na iniciação da facção ou for expulso dela por algum motivo vive na parte "pobre" da cidade, dependendo da caridade alheia (geralmente advinda dos membros da Abnegação) e tem um aspecto bem sombrio. Não sabemos quem são, onde vivem, como vivem.

Devo dizer que não sou das maiores fãs da Beatrice, mas a menina tem seu valor. Não vou descreve-la muito porque acho que seria um spoiler, já que sua facção é determinada pelas suas características. A sinopse já nos entrega que ela é uma divergente, porém, o que isso significa? Essa eu vou deixar pra ser respondida no livro.

Muitas já se apaixonaram e outras ainda se apaixonarão por Four, que é o "par romântico" da Beatrice. Aliás, eu imaginei um Four bem diferente do ator que escolheram para fazer o filme (lançamento em 2014).

Eu gostei bastante do desenvolvimento do relacionamento dos personagens, ele cresce com o tempo e não tem nada de amor-miojo, instantâneo. 

A leitura é alucinante, virada atrás de virada nas páginas, muita ação. Eu fico escrevendo e apagando, pois não sei até que ponto contar da história, até que ponto deixar para ser descoberto. Só vou acrescentar que tem muito mais nesse livro do que o que foi dito nesse texto.

Um fato interessante é que esse livro é o primeiro da autora e já é um aclamado livro pelo público, acho que dá para esperarmos muita coisa legal da autora. O livro 2 da trilogia se chama Insurgente e já foi lançado no Brasil. O terceiro será traduzido como Convergente, mas por enquanto só se encontra em inglês, como Allegiant

Já leu? Vai ler? Deixe nos comentários!

Comentários

  1. Adorei Divergente tb!! Preciso muito ler o segundo!! Mas já que demorei até agora, talvez espere sair logo o terceiro e leio de uma vez sem ansiedades!!! rsrs

    ResponderExcluir
  2. Olha, recomendo mesmo esperar para ter Insurgente e Convergente e ler em maratona, pq o segundo livro termina num gigantesco cliffhanger hahaha
    Quando lançarem a tradução, com certeza vou reler a série *.* vale a pena!
    Bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Vi na Livraria | A Taberna - Émile Zola

Um livro depravado do século XIX.