Pular para o conteúdo principal

Resenha | O Beijo das Sombras - Richelle Mead

Academia de vampiros #1
Editora: Agir
Páginas: 320
Estrelas

Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi - os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade.
Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola.
Mas isso é só o começo. Em O Beijo das Sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar?
Richelle Mead dá uma nova face à literatura vampiresca com este romance: mais ácida, apimentada e inteligente do que nunca, a saga dos Moroi e seus guardiões surpreende pelas reviravoltas e pela ousadia desses cativantes personagens.

Acabei de terminar a leitura e vim direto escrever sobre ela. Geralmente eu demoro alguns dias para escrever o que achei dos livros, mas neste caso, quero pegar o segundo volume hoje, e portanto, preciso escrever para não acabar confundindo os dois livros.

A história gira em torno das duas protagonistas, Rose e Lissa. Lissa é uma Moroi, ou seja, faz parte da realeza vampiresca. E Rose está treinando para ser sua guardiã, ela é uma dampira (mix de vampiro com humano).

As duas tinham fugido da Academia de Vampiros por alguns motivos que ficam claros ao longo do livro, mas foram levadas de volta. Por dois anos, elas viveram entre os humanos, fugindo de alguma coisa.

O livro tem características de apresentação, já que se trata de uma série extensa, com seis volumes, nada mais justo do que começar explicando como tudo funciona neste mundo. Entretanto, ele não perde o caráter de entretenimento enquanto vai explicando o cenário.

Basicamente, existem os Moroi, como a Lissa, que são "vampiros do bem", e os Strigoi, que são "vampiros do mal". Todos eles bebem sangue humano e ninguém brilha no sol, ok? Mas os Strigoi são quase como se fossem vampiros-zumbis, acredito que eles ainda vão aparecer e ser explicados melhor ao longo da série.

E é essa dualidade que move o mundo deles, com os dampiros sendo treinados para proteger a monarquia Moroi. Mas também, é um livro young adult, então, tem festas, romance e bastante intrigas de colégio.

Eu gostei muito da leitura, me diverti bastante e como já disse, estou pegando o segundo volume agora para ler. Acredito que a autora ainda tenha muitos pontos para explorar e pretendo me apaixonar pelo Dimitri ainda mais no próximo livro. Gostei bastante! 


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

  1. EBAAAAA!!!!!!

    Que bom que gostou, Rafa!! Como você sabe, é minha série favorita e adoro quando pessoas próximas gostam também!!! hahaha Mal posso esperar para ler as outras resenhas! Espero que você goste da série toda, porque o povo tem se desiludido a partir do quarto livro (apesar de eu concordar com alguns pontos de quem fala isso!)! =/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Como pensar mais sobre sexo - Alain de Botton

Editora: Objetiva
Páginas: 152
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2012 com o título de How to Think More About Sex

Não pensamos muito sobre sexo; na verdade pensamos sobre ele da maneira errada. Assim declara Alain de Botton neste livro rigoroso e honesto cujo objetivo é nos guiar por esta experiência íntima e excitante – porém muitas vezes confusa e difícil - que é o sexo. Poucos de nós acreditamos ser completamente normais no que diz respeito ao sexo, e o que se presume que deveríamos estar sentindo raramente é a realidade. Este livro argumenta que o sexo do século XXI está fadado a ser um jogo de equilíbrio entre amor e desejo, aventura e comprometimento. Abrangendo assuntos como desejo, fetichismo, adultério e pornografia, Alain de Botton reflete sobre os dilemas da sexualidade moderna, oferecendo insights e conforto para nos ajudar a pensar mais profunda e sabiamente sobre o sexo que estamos, ou não, fazendo. A partir de meados do século XX, o discurso sobre o sexo foi s…