Pular para o conteúdo principal

Resenha | Como Ter uma Vida Normal Sendo Louca - Camila Fremder e Jana Rosa


Editora: Agir
Ano: 2013
Páginas: 194
Classificação: Humor, Contemporâneo
Skoob

"Em "Como ter uma vida normal sendo louca": a autoajuda definitiva para todas as mulheres, de todas as idades e em todas as situações, Camila Fremder e Jana Rosa presenteiam as leitoras com dicas sobre as mais diversas situações do dia a dia, desde como se livrar de pessoas chatas em aviões, parecer intelectual, mesmo sem ser, até como dizer a um amigo que ele fede. Além disso, ainda ensina como se comportar na festa do encontro da turma da escola depois de muitos anos passados da formatura. O livro é interessante da primeira à última página e apresenta uma visão muito bem humorada de situações que poderiam constranger qualquer pessoa. O prefácio é de Gloria Kalil." (Sinopse do site da Amazon)



Eu comprei esse livro baseada na capa e no título, admito. Estava naquelas promoções diárias da Amazon, sabe? E sendo uma louca eu mesma, adorei o livro. Dei altas risadas, me identifiquei com algumas partes e com outras fiquei de orelha em pé só de imaginar as situações propostas.

O livro é dividido em "ensinamentos" com toda a ironia que a palavra comporta, já que todos eles são irônicos até o talo. Por exemplo, o primeiro é sobre como lidar com aquelas situações que todas nós passamos, principalmente em situações familiares, como aquela tia chata que todo mundo tem que pergunta "ainda solteira?".

Eu marquei alguns dos meus ensinamentos preferidos ao longo da leitura. Sendo eles: o número 7 (o fantasma da ex), o 11 (dez maneiras de terminar com a sua melhor amiga), 12 (dez dicas para quando encontrar alguém que te deu um pé na bunda justamente quando você estiver sem maquiagem e com roupas feias) e o de nº 26 (influenciando astrólogas e cartomantes).

Recomendo mais para as gurias, mulheres do que para o público masculino (mas acho que homens deveriam ler e entender um pouquinho mais sobre a mente feminina e todos os pensamentos que percorrem nossos neurônios).

Se você for louca, achou seu manual. Se for "normal" ou menos louca que as autoras, achou uma fonte de risadas para seu próximo domingo tedioso.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog no Google Friend Connect.


Comentários

  1. Nossa, eu tô louca pra lê-lo pois ADORO a Jana e a Ca Fremder, ambas são muito bem humoradas.
    Beijo.

    www.despindoestorias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wow! Meu primeiro comentário hehe obrigada! Leia mesmo! Eu não conhecia as autoras, mas são realmente bem humoradas.
      Bjs!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever