Pular para o conteúdo principal

Filme | Carrie (2013)

Carrie retrata um grande desastre ocorrido na cidade americana de Chamberlain, Maine, destruída pela jovem Carietta White. Nos anos anteriores à tragédia, a adolescente foi oprimida pela sua mãe, Margaret, uma fanática religiosa. Além dos maus tratos em casa, Carrie também sofria com o abuso dos colegas de escola, que nunca compreenderam sua aparência, nem seu comportamento. Um dia, quando a jovem menstrua pela primeira, ela se desespera e acredita esta morrendo, por nunca ter conversado sobre o tema em casa. Mais uma vez, ela é ridicularizada pelas garotas do colégio. Aos poucos, ela descobre que possui estranhos poderes telecinéticos, que se manifestam durante sua festa de formatura, quando os jovens mais populares da escola humilham Carrie diante de todos.



Trailer:

Primeiro, queria dizer que não li o livro, nem vi a adaptação de 1976. Também que eu não tenho grandes conhecimentos cinematográficos e as opiniões que eu der são do meu ponto de vista analisando o prazer que o filme me deu ou não.

Eu gostei bastante do filme. Fiquei com muito medo da mãe da Carrie, fanatismo religioso me assusta pra caramba! E ela me pareceu muito crível. A Carrie em si, bom, fisicamente ela não é esquisita. Eu sempre imaginei que ela fosse feia, quando ouvia falar do filme.

Eu adorei a professora, ela poderia ter uma atitude mais passiva em tudo o que acontecia no colégio, mas ela escolheu tentar ajudar. Gostei também do Tommy, como não gostar? Bonito, atlético, gente boa.

Fiquei curiosa para ler o livro, principalmente na parte do início com o "incidente" no banheiro, como será que foi descrito? Será que no papel tem o mesmo apelo para o emocional? Eu imagino que sim, já que frequentemente os livros são melhores que os filmes. Assim que der, vou ler!

Eu li várias opiniões de pessoas que não gostaram do filme, mas eu gostei. Naqueles critérios que eu mencionei antes sobre minha opinião ser leiga e afins, achei que supriu as minhas expectativas para o filme. Eu gostei das atuações e do cenário. É um bom filme.

Você já assistiu alguma adaptação do livro do Stephen King? Ou quem sabe já leu o livro? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Oi, Rafa!

    Tenho medo de filmes de terror e nem assisto, mas esse novo da Carrie todo mundo tá falando bem e não parece muito terror mesmo! =]

    Quanto às leituras que vc comentou lá no blog, sabia que em fevereiro também estou bem lerda?? Estou com um livro da Richelle Mead desde o começo do mês que tá dificil de terminar! hehehe

    bjaum!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Td certo?
      Não achei super terror mesmo, mas como sou meio medrosa, tive meus medinhos haha mas tudo muito leve!

      Quanto às leituras, eu não sei o que tá havendo mesmo haha
      Geralmente eu leio bastante e de forma tranquila, mas esse mês tá demorando para decolar... será que é o calor? haha

      Beijos!

      Excluir
  2. Eu ainda não vi o filme, mas acho a atriz que faz a Carrie bonita demais para a personagem. Não tem como achar ela estranha sendo tão bonita. Como essa guria não seria alguém popular? HEHEHEHEH

    Beijos Rafa!

    Anna - http://pausaparaumcafe.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Hey. Eu tentei ver no cinema, porém sou menor da idade que tinha como limite, mas consegui ver pela internet. Eu adorei o filme, todo o elenco, cada qual ficou perfeito em seu personagem na minha opinião. Eu sempre quis ler esse livro e pretendo mais que nunca agora. Também gostaria de terminar de assistir o filme original de Carrie, que eu comecei a ver, porém não terminei. Enfim, adorei seu blog, muito lindo. Veja o meu:
    www.biblioteque-se.blogspot.com
    Kisses, bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bia! Td certo?

      Eu também estou louca para ler o livro e ver o filme original. Dizem que no filme original é mais cru, com menos efeitos e supostamente deve ser muito bom.
      Vou visitar seu blog ;)

      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever