Pular para o conteúdo principal

Quotes #3




"I made my excuses and left, thinking, really, after a certain age, people are just going to do what they're going to do and you're either going to accept them as they are or you're not." (Bridget Jones: Mad About the Boy, Helen Fielding)
"Acho que, se um dia eu tiver filhos e eles ficarem perturbados, não vou dizer a eles que as pessoas passam fome na China nem nada assim, porque isso não mudaria o fato de que eles estão transtornados. E mesmo que alguém esteja muito pior, isso não muda em nada o fato de que você tem o que você tem." (As Vantagens de Ser Invisível, Stephen Chbosky)
"Será que houve mesmo um tempo em que eu poderia ter me suicidado e nem sabia disso? E eu passava cerca de uma hora, meu quarto ficando escuro, pensando em que diabos tinha acontecido para me tornar tão incerta sobre até mesmo quem era eu." (A Lista Negra, Jennifer Brown)
"Chorar melhora sempre, mas chorar também me deixa numa melancolia que atrai vários espíritos tristes; eu choro por tudo o que faz tanto sentido mas, se eu sentar pra te explicar em detalhes, vou parecer louca e estou meio com preguiça de sempre parecer louca. Prefiro fazer cara blasé, de obra de arte incompreendida." (A Mulher que Não Prestava, Tati Bernardi)
"Você aceita a vida porque é o que a gente acaba fazendo para não se matar ou não matar todos os imbecis que escutam você reclamar horas sem fim das incertezas do mundo e respondem sem maiores profundidades: relaaaaaaxa!" (A Mulher que Não Prestava, Tati Bernardi)

Comentários

  1. Olá, Rafa!

    Gostei das frases. Principalmente de As Vantagens de Ser Invisível. Sempre tive vontade de ler esse livro, mas acho que preferi esperar passar um pouco essa febre obsessiva pelo filme e tudo o mais. Bridget Jones é um dos únicos chick lit que eu tenho vontade de ler! Há algo de muito incorreto nela que eu gosto muito. Quem sabe eu não coloco pras leituras de março?

    As frases de A Mulher que Não Prestava são boas também, nunca tinha ouvido falar desse livro.

    Beijos,

    Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Eu adorei ler As Vantagens de Ser Invisível, tanto o livro quanto o filme! Estou pensando em reler.
      Bridget Jones é uma das únicas personagens femininas que eu amo de paixão, as confusões dela são hilárias! Não enjoo de reler os livros e rever os filmes ;)
      E aqui no blog tem um breve comentário sobre o livro da Tati Bernardi, eu achei bem legal, parece que ela investigou a minha alma para escrever aqueles textos.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Rafa....

    Adorei as quotes, principalmente a da Bridget. Já vantagens de ser invisível não sou fã do livro (apesar de ter marcado algumas frases). Infelizmente não vi nada demais no livro :/
    Estou pensando em
    Colocar quotes lá no blog também. Sempre março varias enquanto leio

    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camylla!
      Parece que "As Vantagens de Ser Invisível" divide os leitores, né? Eu, particularmente, amei. Achei que o personagem conversou na mesma língua que eu.
      Coloca! Eu adoraria ler, sou uma apaixonada por quotes! Tem frases que nos marcam e não dá para confiar na memória.

      Beijos

      Excluir
  3. Oi Rafa!

    Adorei os quotes selecionados. Gosto muitíssimo desse de As Vantagens de Ser Invisível, adorei o livro <3

    Beijo,
    Naty - Just Books.

    ResponderExcluir
  4. Oi flor!
    Adorei os quotes! Nunca li As Vantagens de Ser Invisível, mas já gamei pelo quote que você deixou aqui. <3

    Obrigada pelas suas visitas e comentários fofos *abraça*

    Beijos!
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever