Pular para o conteúdo principal

#FridayReads 29/08


Ieei, finalmente terminei livros e posso contar pra vocês ;)
Adeus, ressaca!


Depois de uma terrível ressaca literária, passando duas semanas sem concluir nenhum livro, hoje vou contar pra vocês de 3 conclusões.

Primeiro, A Máquina do Tempo, do H. G. Wells, que já saiu resenha. Gostei bastante da leitura, é uma história de aventura, principalmente. Minha opinião está bem explicadinha na resenha, então nem vou comentar mais nada.

Depois, eu terminei a causa da ressaca. Época de Morangos, da Rafaella Vieira. Ah, gente, não gostei do livro :/ achei que as primeiras 200 páginas não tem história nenhuma e o livro tem 320, então...


Depois, para cumprir o BookTour, li Cores de Outono, da Keila Gon. É um romance com toques de fantasia situado numa cidade próxima a São Paulo. Depois de uma tragédia pessoal, Melissa se muda com a irmãzinha Alice para a casa do Opa George, ao pé da montanha. Rolam vários boatos sobre o que acontece na montanha, e seus habitantes, dentre eles, Vincent ♥


Espero que agora consiga voltar ao ritmo normal de leituras, porém, estou indecisa com o que ler nessa semana! Comprei um livro lindo na livraria aqui da cidade, "Eu Fui a Melhor Amiga de Jane Austen" que está nas prioridades de leitura, não consigo parar de babar na sua capa linda! haha

O livro junto com o meu Kindle com capinha de Levs!

Na listinha também estão Apego, da Isabel Fonseca, que ganhei de presente de um super-amigo. Suave é a Noite do F. Scott Fitzgerald e minha leitura de kindle, História do Mundo em 6 Copos.


Eu tenho postado no instagram as novidades que chegam por aqui, até porque estou mega atrasada nos posts de cheguei. Se você quiser acompanhar, @alpargatas13.

O que você tem lido? O que pretende ler na próxima semana? Deixe nos comentários!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever