Pular para o conteúdo principal

Resenha | O Circo do Dr. Lao - Charles Finney

Editora: Leya
Páginas: 184
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 1935 com o título de The Circus of Dr. Lao


RESPEITÁVEL PÚBLICO, O CIRCO CHEGOU! Abalone, no Arizona, era um lugar ermo e tranqüilo onde os habitantes se preocupavam tão somente com o tédio e em sobreviver à Grande Depressão... Era, até o circo do doutor Lao chegar à cidade e mudar a vida de todos. Esperando apenas mais um espetáculo circense, os cidadãos de Abalone notaram algo de esquisito no circo. Seres estranhos, atrações cujo nome sequer podiam soletrar, seres infernais, animais de todos os tipos, mitos da antiguidade, serpentes, híbridos e muito mais – eram inúmeras as atrações bizarras. Aos poucos o circo faz ruir a frágil máscara dos habitantes locais; (des)ilusões amorosas, o tédio oculto nas vidas de fachada, segredos revelados transformam o espetáculo em uma bizarra percepção do próprio ser humano. Em poucos dias, doutor Lao irá alterar a vida dos moradores de Abalone.

Eu encontrei esse livro muito por acaso e me interessei em lê-lo por causa da quarta temporada de American Horror Story. Esperava encontrar no livro algo parecido com o seriado.

Preciso dizer que não, não é um livro de terror circense. E isso afetou a minha leitura do livro, fiquei frustrada com não ter encontrado o conteúdo que buscava e apagou um pouco dos méritos do livro.

Isso dito, ele é um livro interessante. O circo chega na cidade e acompanhamos as reações dos moradores aos seres circenses. Com criaturas muito estranhas, cada pessoa via na figura uma coisa diferente. Gera um burburinho na cidade. Na sua estreia, exploramos junto com os moradores o interior do circo.

Até o leitor fica em dúvida sobre o que está vendo no circo. É fácil entrar na história e acompanhar seu desenvolvimento. O diferente deste livro é que não acompanhamos nenhum protagonista, acompanhamos várias pessoas entre as tendas, e o foco é no que eles vêem e pensam sobre as atrações.

É um livro curto com um trabalho gráfico lindo. Pretendo relê-lo com as expectativas ajustadas e aproveitar mais as qualidades da narrativa. É um livro diferente e interessante, mas não marcou minha vida. Recomendado para quem gosta de circos e livros voltados à análise de personagens.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog no Google Friend Connect.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever