Pular para o conteúdo principal

Resenha | O Livro das Princesas - Meg Cabot, Paula Pimenta, Lauren Kate e Patrícia Barboza

Editora: Record
Páginas: 288
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado em 2013.

Da mesa da Princesa Mia Thermopolis: Olá, amigos, fãs e companheiros admiradores de princesas (ou eu deveria dizer simpatizantes de princesas?)! Eu mal pude acreditar quando alguém do Brasil permitiu que EU desse uma olhadinha neste livro. Mas acho que faz sentido, já que, além de ser uma princesa, também tenho verdadeira paixão por histórias românticas! Acreditem no que eu digo, este livro tem essas duas coisas de sobra! Mas são releituras contemporâneas, com reviravoltas que farão você dizer owwwwnnnnnn… Uma Cinderela DJ? Rapunzel popstar? Bela é uma supermodelo? E unicórnios em A Bela Adormecida?! Sim, por favor! Mais, mais. POR FAVOR. Não se preocupem, tem mais. Muito mais. Eu amei, e vocês também vão! (Sim, você também vai amar, Tina Hakim Baba. Pode pegar meu exemplar emprestado quando eu terminar de ler. Não, melhor: compre o seu. Assim você vai poder ler de novo e de novo, como eu pretendo fazer.)
Sinceramente, Sua Alteza Real, Princesa Mia Thermopolis

 Eu ganhei esse livro num sorteio da fofíssima Dani, do Só Lendo. Divido ele com a minha mãe, porque ela é mais fã de princesas do que eu - haha.

O livro traz quatro contos de quatro autoras diferentes. Duas brasileiras, duas internacionais. E a proposta é atualizar contos de fadas, trazer para o século XXI os contos que permeiam a infância de toda menina.

O primeiro é da Meg Cabot, A Modelo e o Monstro. Uma modernização da Bela e a Fera, Belle está passando a lua de mel do pai com a madrasta e sua irmã emprestada num cruzeiro, quando avista um rapaz a olhando de um dos apartamentos. Gostei do conto até o final, que ficou meio estranho e apressado. Não acreditei no amor criado pela autora.

Depois, da Paula Pimenta veio Princesa Pop. Esse serviu de bandeja todas as emoções possíveis. Já tinha lido Princesa Adormecida da autora e ficado curiosa com a DJ Cinderela. Senti que ela espaçou melhor os acontecimentos e foi super gostoso de ler. Conta a história da DJ Cinderela, que promove seus shows escondidos e conhece um rapaz misterioso numa das festas que ela está trabalhando.

Seguindo para Lauren Kate com Eclipse do Unicórnio. Aí a coisa ficou meio estranha, tem uns toques de magia e, sinceramente, não gostei. Achei o mais fraco em questão de conteúdo, o que menos inovou e também não convenceu. O protagonista é Percy, o que é um diferencial dos outros já que são narrados pela menina, ele está passando por uma desilusão amorosa quando encontra... a descoberta fica para quem ler, embora não recomende.

Do Alto da Torre escrito por Patrícia Barboza, vai contar a história de Talia, que mora com a tia e que fez uma promessa de que a menina não vai cortar o cabelo até os 15 anos de idade. Através de seu canal no YouTube, ela começa a ser a super star que quer ser e descobre um príncipe pelo caminho. Gostei do conto, embora não seja meu preferido, foi gostoso de ler e se encantar.

No geral é um livro legal. Teve seus altos e baixos, mas creio que toda coletânea de contos deva os ter também. É uma leitura divertida para - não diria todas - mas várias idades, se você escolhe suas leituras pelo clima, acho que é uma boa pedida. Pegue um picolé e se joga.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog no Google Friend Connect.



Comentários

  1. Oi, Rafaela!
    Gostei muito de terem feito uma releitura de contos tão famosos e meigos como esses quatro. Em minha opinião, a Paula e a Patrícia foram as que mais arrasaram na antologia, principalmente a Paty, com um conto que acabou virando um dos meus preferidos, apesar do da Paula também ser muito bom! O da Meg realmente apressa um pouco na questão do romance, mas ainda curti bastante. Só o da Lauren Kate que foi péssimo; teria sido uma grande decepção se eu já não tivesse visto comentários negativos sobre ele antes de lê-lo. O problema nem foi, acho, os unicórnios em si, mas ficou tudo tão automático e vago que... soou tão insosso. Não curti nem um pouco, mas, felizmente, ele não tira o brilho do livro como um todo.

    Beijos,
    Sâmmy
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  2. Eba! Adorei a resenha! E tivemos opiniões bem parecidas!!! =D C pretende ler O Livro dos Vilões (ou das vilãs? agora não lembro! rsrs)? Apesar de ter pego uma birrinha, estou curiosa! ehehhe

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever