Pular para o conteúdo principal

Filme | Os Vingadores

Olá tudo certo por ai?
Hoje vamos falar de Os Vingadores.

Segue a ficha técnica:

Título Original: The Avengers
Lançamento: 27 de abril de 2012
Com: Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Rufflalo e mais.
Dirigido por: Joss Whedon
Duração: 2h22min
Gênero: Ação, Aventura, Ficção.

Sinopse: Loki (Tom Hiddleston) retorna à Terra enviado pelos chitauri, uma raça alienígena que pretende dominar os humanos. Com a promessa de que será o soberano do planeta, ele rouba o cubo cósmico dentro de instalações da S.H.I.E.L.D. e, com isso, adquire grandes poderes. Loki os usa para controlar o dr. Erik Selvig (Stellan Skarsgard) e Clint Barton/Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), que passam a trabalhar para ele. No intuito de contê-los, Nick Fury (Samuel L. Jackson) convoca um grupo de pessoas com grandes habilidades, mas que jamais haviam trabalhado juntas: Tony Stark/Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Steve Rogers/Capitão América (Chris Evans), Thor (Chris Hemsworth), Bruce Banner/Hulk (Mark Ruffalo) e Natasha Romanoff/Viúva Negra (Scarlett Johansson).


Os Vingadores é o ultimo filme da primeira fase da Marvel nos cinemas. Tal fase que contempla os filmes:
  • Homem de Ferro (2008)
  • O Incrível Hulk (2008)
  • Homem de Ferro 2 (2010)
  • Thor (2011)
  • Capitão América: O Primeiro Vingador (2011)

Uma das coisas legais dos quadrinhos de super-heróis é a interligação das histórias. Por exemplo, um fato ocorrido em Capitão América, tem influência direta em Thor (ainda falando dos quadrinhos). Criando assim, um universo grandioso, onde conhecer cada ponta, de cada história é importante pra compreender o universo como um todo.

No cinema não fica tão complicado assim para entender esse universo Marvel, afinal o número de filmes é bem menor do que o número de quadrinhos publicados.

A proposta da Marvel foi colocar em cada filme dessa primeira fase, uma deixa proposital, na qual poderia unir os filmes em um só. E Os Vingadores, é a prova de que isso foi muito bem feito.

Do filme do Thor, temos o vilão de Os Vingadores, Loki. De Capitão América temos o cubo, Tesseract, objeto central da trama. Em Homem de Ferro, temos várias referências, por exemplo,  a prévia avaliação de Tony Stark para o projeto “vingadores”.

Se você não assistiu nenhum dos filmes anteriores a Os Vingadores, provavelmente vai encontrar algumas pontas soltas no filme. Até porque Os Vingadores não faz questão de explicar coisas que já foram citadas, e até mesmo explicadas, nos filmes anteriores dessa primeira fase. Os Vingadores é um filme único, mas que depende muito da história mostrada nos filmes solo de seus personagens.

Mas vamos falar mais especificamente sobre a história do filme. De inicio, temos uma cena, importante para a trama, mas a meu ver, cansativa demais. Que seria o roubo do Tesseract. Nessa cena vemos novamente Nick Fury, dr. Erick Selving, Agente Coulson, Maria Hills e o próprio tesseract, e o Loki (o ladrãozinho). Nessa cena somos apresentados ao Gavião Arqueiro. O Gavião Arqueiro que passa a ser controlado por Loki, assim como o dr. Erick Selvig.

Agora você deve estar pensando “Ok, Loki roubou o cubo mágico e todos vão se unir contra ele”. Mas é ai que você se engana. Não é tão simples unir superegos, digo, super heróis. O filme mostra muito bem essa disputa de egos entre o Cap. América, Thor, Tony Stark, e Bruce Banner (Hulk), e até da Agente Natasha Romanoff (Viúva Negra) .

O que une Os Vingadores, é a capacidade de Nick Fury em enganar as pessoas (sim, enganar). Fury ainda comenta no filme que eles precisavam de um empurrão e foi isso que ele deu. Claro usando a morte de um agente da S.H.I.E.L.D. O único que não precisava desse pequeno empurrão do Fury era o Legolas, digo, Gavião Arqueiro, esse sim tinha motivos de sobra pra se vingar de Loki.

Pra finalizar. Os Vingadores é um filme divertido, que não se destaca por cenas de luta, ou efeitos especiais, mas também pelo seu humor. Vale muito a pena assistir. Melhor filme de super heróis já feito.

Bah 1: Comecei a assistir a série Agents of S.H.I.E.L.D. e quando fui assistir Os Vingadores de novo, peguei mais algumas referências no filme.

Bah 2: Melhor cena pra mim é quando os 6 aparecem em formação de combate (Cap. América, Thor, Hulk, Homem de Ferro, Viúva Negra e Gavião Arqueiro)

Bah 3: Empatada em primeiro lugar, também tem a cena do Hulk batendo no Loki, ótimo alívio cômico.


E você já assistiu Os Vingadores? O que achou? E qual seu super herói favorito? Não poupe seu teclado, deixe um comentário.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever