Pular para o conteúdo principal

O que tenho assistido (3)


Cá estou eu para contar o que tenho assistido nas últimas semanas. Vem ver!



Sobre filmes, escolhi duas adaptações que li os respectivos livros esse ano. Comecei com Garota, Interrompida, que ainda não tem resenha do livro (mas logo terá). Os dois são ótimos, mas de maneiras diferentes. Enquanto o livro é excelente pela realidade que ele mostra, o filme é bom por ser adaptado muito bem, com atuações excelentes. O filme é mais "mastigado", mostrando linearmente os acontecimentos, mas não deixa de ser bom.

Força bruta, é a adaptação de 1992 do livro Ratos e Homens, resenha aqui. Eu descobri com esse filme que imagens tem mais apelação emocional para mim, porque embora eu tenha achado o livro bem triste, nele o que mais me chocou foi a "crueza" da história. Enquanto o filme, achei extremamente triste. O ator que faz o Lennie fez um papel digno de Oscar, realmente incorporou o personagem. Chorei litros assistindo.


Passando para as séries. Assisto Family Guy faz um bom tempo já, porém, não acompanho por temporadas. Vi no Netflix que algumas estão disponíveis e resolvi assistir, meio sem linha cronológica já que a primeira disponibilizada lá é a nona. Eu costumo dizer que Family Guy é o que Simpsons tentou ser, uma sátira nada politicamente correta do estilo de vida americano.

E ontem mesmo, enquanto viajava, assisti ao piloto de Chicago P.D., e amei! Violenta e sanguinária, é mais uma série policial. Produzida pelo mesmo cara do Law & Order, já me conquistou. Vou acompanhar! A segunda temporada começa daqui uns dias.

Também assisti a web série The Lizzie Bennet Diaries e você pode conferir aqui um pouco do que eu achei.

O que você tem assistido? Deixe nos comentários!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Vi na Livraria | A Taberna - Émile Zola

Um livro depravado do século XIX.