Pular para o conteúdo principal

Resenha | A Once Upon a Time Tale, Despertar - Odette Beane

Editora: Planeta
Páginas: 304
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2013 com o título de Reawakened

Emma Swan sabe muito bem como se virar sozinha. Ela foi abandonada quando ainda era um bebê e a vida não tem sido exatamente um conto de fadas para ela. Quando o filho que ela abandonou anos atrás a encontra tudo se tornará ainda mais complicado. Henry tem 10 anos agora e acredita que a mãe tenha nascido em um mundo alternativo mágico e que, seja a filha desaparecida da Branca de Neve com o Príncipe Encantado. Emma não acredita em uma palavra, mas de acordo com Henry, ela é a única que pode quebrar a maldição, jogada pela Rainha Má, e que afeta todos os personagens dos contos de fadas. Eles estariam presos na nossa realidade, na cidade de Storybrooke, sem seus poderes mágicos e sem qualquer lembrança de quem realmente são.


Eu acho que essa autora foi muito esperta em se servir do inegável sucesso do seriado Once Upon a Time para explorar a história em uma mídia diferente da que ela foi originalmente proposta. Logo que eu vi, eu queria esse livro, justamente por ser fã do seriado e leitora ávida, achei que seria maravilhoso, minhas duas paixões unidas ♥

Porém, ele não acrescenta em nada. Cenas, diálogos, construção... tudo é "ctrl c + ctrl v" do seriado. Não aprofunda de nenhuma forma, não modifica nada e até se perde bastante com a transposição para o texto dos diálogos da série.

Não me entenda mal. O livro é bom, mas é bom porque a série é boa, ele não tem méritos próprios. A autora poderia ter se utilizado da base da história e dos personagens para ir além, mas não foi. É um nadinha melhor que ler um roteiro. 

Mesmo tendo histórias iguais, continuo preferindo o seriado, pois o visual dele é bonito e a maneira como fazem a transição entre o passado e o presente é executada melhor. Não sei se vou ler as continuações, acho muito provável que não.

Então, se você é fã do seriado como eu e estiver afim, leia. Mas se não ler, não estará perdendo nada. Leia por curiosidade, se for o caso.

E você? Já leu? Assiste a série? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Também gosto da série, e estava querendo comprar mesmo este livro, com a resenha meio negativa vou ler mesmo por curiosidade kkk

    - http://criativare-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por sua conta e risco Thales! hahaha
      Capaz, ele é divertido, vale a pena para fãs :D

      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever