Pular para o conteúdo principal

Resenha | O Segredo do meu Marido - Liane Moriarty

Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2013 com o título de The Husband's Secret

Ela virou o envelope. Estava lacrado com um pedaço de fita adesiva amarelada. Quando a carta tinha sido escrita? Parecia velha, como se tivesse sido anos antes, mas não havia como saber ao certo. Imagine que seu marido tenha lhe escrito uma carta que deve ser aberta apenas quando ele morrer. Imagine também que essa carta revela seu pior e mais profundo segredo - algo com o potencial de destruir não apenas a vida que vocês construíram juntos, mas também a de outras pessoas. Imagine, então, que você encontra essa carta enquanto seu marido ainda está bem vivo... Cecilia Fitzpatrick tem tudo. É bem-sucedida no trabalho, um pilar da pequena comunidade em que vive, uma esposa e mãe dedicada. Sua vida é tão organizada e imaculada quanto sua casa. Mas uma carta vai mudar tudo, e não apenas para ela: Rachel e Tess mal conhecem Cecilia - ou uma à outra -, mas também estão prestes a sentir as repercussões do segredo do marido dela.

Com essa capa e esse título, eu esperava um romance tradicional. Qual não foi minha surpresa ao encontrar um romance, sim, porém com toques de mistério e suspense, muito bem elaborado, contado em perspectivas diferentes que se encontram num final redondinho, redondinho.

Cecília, a mulher do marido que tem o segredo, tem uma vidinha confortável com suas filhas e seu marido. Enquanto revolve num amontoado de papéis, encontra uma carta lacrada escrita pelo marido e endereçada a ela.

Tess, que descobre um relacionamento entre seu marido e sua prima. E Rachel, avó de Jacob, cujos pais querem se mudar para os Estados Unidos e levá-lo junto. Ok, como juntar tudo isso? Foi a pergunta que me acompanhou até a metade do livro, mais ou menos.

Depois que a carta é aberta, o segredo é revelado (embora nós, leitores, já saibamos o segredo), as histórias se encaixam perfeitamente e faz sentido a escolha da autora em narrar o livro pelas vozes dessas três mulheres distintas.

O pós-segredo-revelado é muito mais interessante, pois suas implicações são grandes e a partir dai, não consegui largar o livro, queria saber o que iria acontecer. A história foi construída com cuidado desde os mínimos detalhes, então tudo fecha direitinho no final e deixa uma sensação de satisfação (pelo menos, pra mim deixou, adorei ler esse livro).

Cada núcleo é bem construído e me apeguei aos personagens. Um certo pedaço do livro, creio que poderia ser suprimido sem afetar a história principal, porém, gostei tanto dos personagens desse pedaço que não me importei em não fazer muito sentido estar ali.

Ele não deixa de ser um romance, porém é um romance bom, bem escrito, com personagens cativantes e história interessante. É uma história completa que me surpreendeu com sua qualidade.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!


Comentários

  1. Ganhei esse livro e me apaixonei por ele. Achei o desfecho dos personagens muito interessante, exceto o da Tess. Mas, a história é maravilhosa e muito confortável. Eu adorei ler esse livro!
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

    http://thamirisdondossola.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adorei o livro! Fiquei super surpresa hehe

      Beijos!

      Excluir
  2. Morro de curiosidade de ler esse livro, parece ser uma leitura muito proveitosa. Adorei a resenha!

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever