Pular para o conteúdo principal

Filme | Austenland


Austenland

Baseado no romance de mesmo nome escrito pela Shannon Hale. É uma comédia romântica produzida pela Stephenie Meyer, autora da saga Crepúsculo.

Fãs de Jane Austen devem ver esse filme. É excelente, responde com exatidão à proposta. Com ele, eu ri, quase chorei e torci demais para que o final fosse o que eu queria que ele fosse e foi *.*



Trailer:


Jane, a protagonista, é viciada em Jane Austen. Se você é aquele tipo de fã que leu todos os livros, memorizou citações, apaixonou-se pelo Mr. Darcy, assistiu a todas as adaptações, sinto em lhe dizer, Jane nos superou. Sua vida inteira é baseada nas obras de Jane Austen.

Com suas economias, ela vai embarcar numa viagem para Austenlândia, a única experiência de imersão no mundo que Jane Austen escreveu. E o lugar é lindo, com atores contratados é o sonho de toda fangirl. Você ganha a experiência completa, inclusive com um noivado ao final, a não ser que você vá com o pacote econômico, como a nossa protagonista.

Cuidado com o que pede, se você quer entrar no tempo e voltar à era da Regência, você vai ter que se submeter aos padrões da época e ser julgada por seu poder econômico. O que é engraçado é que justamente isso é o que faz Jane ganhar uma real experiência de protagonista das novelas de Jane Austen.



Se você é um purista, não perca seu tempo assistindo esse filme. É claro que são feitas modificações na história. Começa a rolar um triângulo amoroso muito do maroto lá pelas tantas.


Comentários

  1. Olá Rafa, eu adorei o post.
    Eu comecei assistir a esse filme, mas acabei desistindo, porque nunca li nenhum livro da Jane Austen (Acredita?).
    Mas eu ando pensando em assistir e agora que vi o seu post, vou ver o filme. Acho que vou conseguir entender mesmo assim, né?
    Beijos!

    palacioliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, Cintia!
      Com Orgulho e Preconceito, eu conheci através do filme e só depois fui ler o livro. Eles não são nada difíceis! Espero que vc se divirta *.*

      Beijos

      Excluir
  2. Como oa fã de Jane Austen vi o filme, gostei, mas esperava mais.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena! Eu adorei... assisti num sábado chuvoso, me diverti bastante :D
      Bjs

      Excluir
  3. Oi Rafa,
    Eu já sabia sobre esse filme, mas não sei sabia que já estava pronto! Vou esquecer que a Stephenie Meyer o produziu...
    Fiquei com muito vontade de ver o filme e ler o livro! Quero muito ver a tal Austenlândia rs
    Bjs!

    http://www.leituranossa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Td bom?
      Está sim, mas parece que chega no Brasil só no final desse ano (vai entender...). Eu quero ir para Austenlândia!!! haha
      Bjs

      Excluir
  4. Oie, tudo bom?
    Nunca li nada da Jane Austen acredita? Mas pretendo mudar isso em breve.
    O filme parece ter uma trama super leve e despretensiosa. Interessante!
    Beijos.
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!

      Eu só acredito porque acompanho teu trabalho faz um tempo já e confio em vc hahaha
      Acho que vc iria gostar dos livros da Jane Austen, já que vc gosta de romances. Eu costumo pensar como o romance-pai de todos os romances. Adoro!

      Beijão

      Excluir
  5. Oi Rafa!

    Gosto muito dos livros da Jane Austen sendo Orgulho e Preconceito e Emma os meus favoritos. Agora fiquei morrendo de vontade de assistir ao filme, imagino que irei gostar também.

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! As obras da Jane Austen geram adaptações para filmes e séries excelentes! Eu conheci Emma com uma série, super legal!
      Bjs

      Excluir
  6. Oi rafa ...
    Sou super fã de Jane Austen e só não assisti esse filme pq tem o livro chamado austenlandia que ta pra chegar e por isso vou ler antes ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      Eu também estou ansiosa pelo livro! Ouvi dizer que é o início de uma série, essa eu acompanharei! haha
      Bjs

      Excluir
  7. Estava procurando algo pra assistir agora, e quase chorei quando achei esse, depois desse post HAHAHAHAH
    achei que ia estrear nos cinemas ainda, ou algo do gênero
    Vou assistir, depois conto o que achei <3

    beijos

    http://livrodecapadura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever