Pular para o conteúdo principal

Resenha | Preciosa - Sapphire

Editora: Record
Páginas: 192
Estrelas: 5/5 
Skoob
Publicado originalmente em 1996 com o título de Precious

Claireece Precious Jones suportou inimagináveis dificuldades em sua curta trajetória. Abusada pela mãe, estuprada pelo pai, ela cresce pobre, obesa, embrutecida, analfabeta, desprezada e, no geral, ignorada. Em seu próprio dialeto, ela se revela para os leitores: as humilhações constantes, os sonhos desfeitos e a resignação com que enfrenta a própria vida.
No Harlem, o reino dos sem voz, mora com a mãe, mulher solitária e cruel que assiste a TV incessantemente, devora toda a comida que Precious prepara e a submete suas tiradas raivosas. Apesar de tudo, a adolescente suporta a mãe com paciência surpreendente e segue em frente, tentando contornar os problemas do dia a dia com a cabeça erguida. E sonha com uma vida de celebridade, coberta de jóias, vestidos de luxo e um namorado bonitão.
Mas por causa da gravidez é forçada a abandonar a escola — o último e precário vínculo que a ligava ao restante do mundo — e é convidada a frequentar um centro de aprendizado alternativo. Ali, no fim da linha, está a senhorita Rain, uma jovem professora, radical e batalhadora por meio da qual Precious terá a possibilidade de recuperar sua voz e sua dignidade, descobrindo um mundo novo no qual poderá finalmente entender os próprios sentimentos e se expressar de uma maneira que nunca antes havia imaginado.


Tarefa difícil falar sobre esse livro. Se você leu a sinopse, sabe que a história não é bonita. Na verdade, é uma das histórias mais tristes que eu já li e deixa marcas. Não é verídica, na orelha do livro diz que é a única história fictícia escrita pela autora (minha edição é de 2010), porém, poderia ser. De fato, acredito que alguma pobre alma sofre/sofreu os abusos descritos neste livro. 

Com a leitura dessa história, o choque de realidades é gritante. Eu li sentada confortavelmente no sofá, como uma distração da minha vida fácil de filha querida e universitária. Li sobre a maldade do ser humano e sofrimentos que nunca tinha imaginado como reais. Esse livro abre os olhos, existe abuso, existe pedofilia, existe analfabetismo, existem pessoas que dependem de programas governamentais para sobreviver, existe gravidez na adolescência. Ele dá rosto aos inúmeros anônimos que são tão fáceis de ignorar.

Quando você conhece a personagem, você a conhece pelas próprias palavras. O livro é escrito em primeira pessoa e tem erros propositais de português, pois a personagem é analfabeta, porém evolui junto com ela. Você percebe o quanto ela vai aprendendo, isso trouxe uma profundidade estupenda ao livro.

A conhecemos com 16 anos, grávida pela segunda vez e sendo expulsa da escola. Acompanhamos quando ela vai para um centro de ensino alternativo (algo parecido com o EJA). Incidentemente, conhecemos as colegas dela. Meninas e mulheres com histórias tão difíceis quanto as de Preciosa, outras vítimas de abuso, prostitutas, pessoas que como Preciosa, são fáceis de pré-julgar e esquecer que existem.

O óbvio seria odiar o pai de Preciosa e eu odiei bastante! Porém, eu fiquei com mais raiva da mãe dela. Em certo ponto do livro, ela conta como descobriu que a filha era abusada pelo pai e não foi entreouvindo alguma coisa através da porta. Foi uma das cenas que mais me deu nojo, pena e vontade de ajudar a personagem. Além de aceitar tacitamente o abuso do marido com a filha, ela também é ativa no abuso, não só psicologicamente.

No meio de tanta desgraça, a mensagem do livro é de esperança. Preciosa, além de todos os adjetivos que são citados na sinopse, é sobrevivente, tem vontade de mudar. Como qualquer adolescente, ela tem seus artistas preferidos e sonha acordada com uma vida glamourosa de celebridade, tem vontade de conhecer o amor, de fazer sexo como uma menina normal, apaixonada. Ela vê no segundo filho uma saída dessa vida, ela quer terminar o curso e arrumar um emprego para poder cuidar de ambos os filhos.

Eu não vi o filme, mas pretendo ver. Não sei como eles colocaram algumas cenas do livro, porque são fortes. Como filmar os momentos que a Preciosa descreve os abusos sofridos tanto pelo pai quanto pela mãe?

Esse livro não tem nada de juvenil, embora a protagonista seja adolescente. É literatura adulta e pesada. É difícil recomendar esse livro, pois como eu disse acima, ele marca. Se você "gostou" da sinopse, eu recomendo. Entre todas as dificuldades da personagem, a mensagem maior que fica é de esperança.


Você já leu esse livro? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Olá, Rafa!

    Eu nunca tinha ouvido falar do livro Preciosa, apenas do filme. Acabei não assistindo na época porque não é uma história feliz e eu tenho um pouco de resistência com filmes que deixam aquele nó na garganta. No entanto, eu comecei a ver/ler filmes e livros mais adultos, então talvez eu esteja preparada pra isso.

    É realmente o que você disse: nós estamos tão isoladas desse tipo de realidade que não nos damos conta de que os infortúnios que nós vemos nos jornais e na tv são protagonizados por pessoas de verdade. Isso nos faz olhar a vida de outra forma. Agradecer pelas coisas boas e ruins que nos acontecem, por exemplo, já é um começo.

    Vou colocar na minha lista

    Ps.: Te marquei numa tag lá no blog

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!

      Eu não conhecia nem o filme, nem o livro. Eu li uma resenha em janeiro no blog Livros & Bolinhos e sabia que tinha que ler. Não errei. Leitura marcante mesmo. Se você ler, gostaria de saber o que achou e conversar *.*

      Sabe que é verdade isso que você disse? Olhando no JN, parece que não somos capazes de absorver a realidade como ela é. É fácil virar para o lado e ignorar. No Direito, a gente acaba entrando um pouco mais em contato com esse lado da vida, mas é difícil imaginar uma situação dessas sentada num banco universitário.

      Adorei que você me marcou na TAG, vou responder, certamente!

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Rafa.. que livro hein? Ainda mais abordando um tema tão polemico e escondido.
    A sociedade costuma tampar os olhos para uma realidade dessas.. e é uma realidade mais comum do que imaginamos..
    Como se proteger de algo tendo uma mãe que é negligente e omissa?
    É realmente uma situação muito complicado, mesmo sendo um caso fictício é como você mesma disse, acontece dentro de várias familias até mesmo próximas e não ficamos sabendo. Triste realidade!
    Amei a resenha.. foi muito esclarecedora sobre o tema do livro.
    Beijos!

    http://palacioliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cintia!

      É verdade. As vezes nem é por mal que fechamos os olhos, mas por não nos colocarmos na situação alheia. É por isso que eu acho que a leitura nos ajuda tanto!

      Quando nós lemos, somos transportados a uma situação diferente, convivendo em situações que talvez de outras formas não viveríamos, com pessoas diferentes. As malezas da vida são jogadas na cara do leitor. Ler desenvolve a compaixão!

      Beijos!

      Excluir
  3. Assisti o filme Preciosa e achei chocante. Cheio de atuações perfeitas também (indicações ao Oscar daquele ano que o digam). A leitura deve ser ainda mais crua e forte. Uma moça querendo amor, amor de homem amor da mãe, sofrendo tão jovem essas pancadas da vida. AHH, livros pra gente ler, pra refletir, pra chorar...

    Bjoos Rafa!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi George!

      Eu não assisti ao filme ainda, pretendo ver naqueles dias que a gente precisa chorar haha

      Bjs!

      Excluir
  4. Já tinha ouvido falar do filme, mas não sabia que tinha o livro.
    Ele é bem pesado, por este motivo nunca tive interesse em conhecer, prefiro ler e assistir coisas leves e fantasiosas. A realidade amarga já está na nossa vida de qualquer maneira...

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Inês! Td certo?

      Eu sou meio termo, adoro romances leves, fantasias e adoro ler sobre a realidade também. Gosto bastante de intercalar entre um clássico triste e alguns romances leves para me recuperar. Mas concordo que a realidade é amarga e presente.

      Beijos!

      Excluir
  5. Oie, tudo bom?
    Já conhecia a densidade desse livro e depois da sua resenha estou ainda mais curiosa para lê-lo. Por mais que seja pesado eu acho que é uma história que merece ser lida. Essas pessoas existem e sofrem diariamente com os mais diversos abusos e muitas vezes só precisam de uma chance.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!

      Eu acho que vc vai gostar, por mais que seja triste, é uma história bonita de ser contada e lida!

      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Eu Fui a Melhor Amiga de Jane Austen - Cora Harrison

Editora: Rocco
Páginas: 320
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2010 com o título de I Was Jane Austen's Best Friend

Chega ao Brasil o livro: "Eu fui a Melhor Amiga de Jane Austen" da autora Cora Harrison. A história tem o objetivo de introduzir os mais jovens ao empolgante mundo dos livros de Jane Austen. O livro traz uma combinação entre fatos históricos e ficção, apresentando a relação entre as adolescentes Jane Austen e sua prima Jenny Cooper.