Pular para o conteúdo principal

Resenha | Uma História do Mundo - David Coimbra

Editora: L&PM
Páginas: 272
Estrelas
Skoob
Publicado em 2012.

Compre na Amazon: Uma história do mundo

Você já parou para pensar por que o homem abandonou centenas de milhares de anos de vida nômade e decidiu se fixar num único lugar na Terra? Por que as pessoas se juntam em cidades? Por que o homem moderno vive como vive, com suas crenças, medos e culpas? Uma história do mundo foi escrito para responder a essas e a outras tantas perguntas. David Coimbra elaborou um instigante panorama sobre a constituição da humanidade – fruto de quarenta anos de leituras e pesquisas – que permite saborear a História sob um ângulo diferente. Começando com os primeiros vestígios da vida humana na Terra e viajando entre os patriarcas hebreus e os povos do Oriente Médio, o autor dá um salto no tempo para Napoleão e os grandes arqueólogos da História – passando com engenhosidade e um toque de humor por Homero, Megan Fox e Dilma Rousseff – e retornando para o Antigo Egito, onde grande parte da consciência do homem ocidental foi urdida.

Esse livro é aquela aula de História com o professor apaixonado, aquela aula que você consegue visualizar o tempo relatado, consegue encontrar semelhanças com a nossa época. Ele traz a História antiga contada de uma forma tão próxima que não tem como não gostar de história depois de ler esse livro. A curiosidade é uma consequência natural depois dessa leitura.

O autor usa de humor inteligente e de linguagem bastante íntima com o leitor. É quase uma conversa. Em várias partes da leitura, eu senti como se estivesse conversando com o autor. Ele utiliza expressões como "você consegue ver...?", é como se fosse um incentivo a soltar a imaginação.

Tem várias curiosidades do mundo antigo que eu nunca tinha parado para pensar como, em épocas primevas, como 'descobriam' o por quê de uma mulher ficar grávida? Porque, hoje em dia, nós sabemos, é claro. Mas me colocando na situação dessas mulheres, como foi que relacionaram a prática de atos sexuais com a "fabricação" de um bebê? Essa é uma das curiosidades que o autor traz.

David Coimbra não se atém somente em contar como foi que a sociedade evolui e por quais meios, mas ele também faz críticas - por vezes ácidas. Também, inclui curiosidades que você não veria naquela aula de história como a invenção da cerveja pelos egípcios. Inclusive, até propõe que brindemos aos egípcios e saliente que, infelizmente, eles não comiam batatas fritas, para completar o happy hour. "A vida sem fritura, você sabe, pode ser uma vida mais magra, mas é menos divertida."

Eu venho de um ritmo de muitas leituras fictícias, e é refrescante  me divertir com essa história que não tem personagens para nos apegarmos. É claro que ficamos íntimos de vários faraós egípcios e nos familiarizamos com algumas incongruências bíblicas, mas não existe aquele apego, não existe expectativa para o final. Já que, nem nós, no século XXI iremos ver o final dessa história.

Como já dito, o livro é de super fácil compreensão e extremamente divertido. É formado por capítulos curtos, o que eu aprecio bastante, de alguma forma ajuda com a fluidez da leitura. Recomendado para quem tem interesse em história, teorias alternativas e curiosidades gerais sobre nossos antepassados.

Você já leu? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Oie, tudo bom?
    Eu amo história e adorei como você descreveu a narrativa desse livro. Gosto de livros com essa dinâmica.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!

      Que bom que vc gostou *.* eu também gosto muito de livros que te impulsionam a querer saber mais!

      Beijos

      Excluir
  2. Oiie!
    Adooorei!
    Sou apaixonada por história e é sempre bom ter um maior conhecimento!
    Adorei sua resenha :D

    Beijos,
    Marcela.
    ocantinholiterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre bom mesmo! Ainda mais dado de forma tão divertida! Bjs

      Excluir
  3. Oi

    Achei o livro super interessante. Sempre gostei de história, mas sem dúvida se for contada de forma intima e com uma linguagem que nos aproxime da história.
    Sem dúvida é um livro que eu quero ter.

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb adoro história! Tive a sorte de ter professores apaixonados pela matéria e sempre me sentia dentro dos períodos que estudávamos ;)

      Excluir
  4. Oi, Rafa!!

    Nossa, ameei esse livro!!! =D Acho que vou quebrar mais uma vez minha promessa de não comprar mais livros!! (pq eu a faço, né? rsrs)

    Sempre gostei de história (no nível de pegar o livro de história para ler como entretenimento! rsrs #nerd) e a sua resenha me lembrou das aulas de cursinho que sinto muita falta! Era muito bom aprender essas coisas com professores apaixonados, discutir desdobramentos e curiosidades!

    Gostaria que existissem 'aulas livres' só para essas coisas!! hehehe

    bjokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, essas promessas nunca dão certo haha!

      Wow, nerd mesmo, mas super legal *.* eu só encontrei essa paixão por estudar quando entrei na faculdade e descobri o direito constitucional haha
      Eu também adoro essas aulas que não parecem aulas, são horas de diversão! E esse livro me entregou bem isso! ;)

      Beijoos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Eu Fui a Melhor Amiga de Jane Austen - Cora Harrison

Editora: Rocco
Páginas: 320
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2010 com o título de I Was Jane Austen's Best Friend

Chega ao Brasil o livro: "Eu fui a Melhor Amiga de Jane Austen" da autora Cora Harrison. A história tem o objetivo de introduzir os mais jovens ao empolgante mundo dos livros de Jane Austen. O livro traz uma combinação entre fatos históricos e ficção, apresentando a relação entre as adolescentes Jane Austen e sua prima Jenny Cooper.