Pular para o conteúdo principal

Harry Potter and the Sorcerer's Stone - J. K. Rowling

Harry Potter #1
Editora: Scholastic
Páginas: 309
Estrelas: ✬✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 1997 com o título de Harry Potter and The Philosopher's Stone

Harry Potter never played a sport while flying on a broomstick, He's never worn a cloack of invisibility, befriended a giant, or helped hatch a dragon. All Harry knows is a misarable life with the Dursleys, his horrible aunt and uncle, and their abdominable son, Dudley. Harry's room is a tiny closet at the foot of the stairs, and he hasn't had a brithday party in eleven years. But all that is about to change when a misterious letter arrives by owl messenger: a lettter with an invitation to a wonderful place he never dreamed existed. There he finds not only friends, aerial sports, and magic around every corner, but a great destiny that's been waiting for him...if Harry can survive the encounter.

Não pretendo resenhar esse livro. Nem acho que seria possível. Essa história já está embrenhada na minha e, como estou relendo a série, dessa vez em inglês, gostaria de compartilhar com vocês as minhas impressões/opiniões sobre ele.

Eu tentei lembrar quantas vezes eu reli esse primeiro livro e o melhor que eu consegui lembrar, em consenso com a minha mãe, foi que li no mínimo dos mínimos 5 vezes essa abertura de série. Teve um tempo em que eu não lia nada além de HP, era muito amor. A cada novo lançamento, lá ia eu reler toda a série de novo. Tanto que, tem algum site (que hoje eu já não lembro qual era) em que eu jogava com a mãe, era tipo um quizz sobre detalhes dos livros, jogávamos juntas, mas como ele era em inglês, a mãe ia traduzindo e nós passávamos horas jogando e lembrando. Sempre com ótimas pontuações, já que o vício era grande haha

Eu experimentei anos de expectativa esperando a conclusão da série. Lembro da primeira vez que vi o livro nas livrarias. Eu, ao contrário de bastante gente, não fui uma leitora na infância. Achava bonito a mãe e a vó lendo, mas quando eu tentava ler, não me envolvia, nem despertava minha curiosidade. Nessa primeira vez que vi o livro, lembro da mãe me dizendo que eu ia gostar, que ela tinha lido em algum lugar sobre o livro e que parecia interessante. Eu dispensei a oferta e seguimos viagem. Nem sei como acabei lendo, acho que já tinham saído os três primeiros (os que eu mais li e reli) livros.

Eu reli tantas vezes porque não achava que seria possível superar esse livro, mal eu saberia que ler depois se tornaria um vício hábito meu. Como outro livro poderia me trazer os sentimentos que eles me trouxeram?

Mesmo em inglês, a conexão que tive com essas palavras de abertura de HP não puderam deixar de me fazer sorrir e mergulhar, mais uma vez, em todos os sentimentos que ele traz. Mais um livro que faz doer as bochechas.

Essa foi a primeira vez que li no idioma original, em inglês, e ao contrário do The Casual Vacancy (que foi minha primeira tentativa em ler em inglês frustrada), Sorcerer's Stone não é uma leitura difícil. Tem algumas palavras que eu desconhecia, mas que não afetaram nada. Tem muito humor embutido nas palavras desse livro.

Foi ótimo reler. Tinha me esquecido do Pirraça! Minha primeira impressão do Malfoy foi que ele era parecido com o Duda, que não gosto também (na verdade, odiava todos os Dursley). Ri muito com a Sra. Weasley limpando o nariz do Ronny e me diverti, de novo, tentando imaginar o Fofo. Eu não me lembrava mais que "demorava" tanto para a Hermione virar amiga do Harry e do Ronny. Então, na primeira metade do livro, senti a falta dela.

Enfim, essa é a minha história com o primeiro livro de Harry Potter. Acho que deu para perceber que eu sou viciada e não tenho a mínima vergonha disso (haha). Já entrei em inúmeras discussões com conhecidos e sou daquelas que acha obrigatória a leitura dessa série para todos que sabem ler gostam de ler.

E você? Quais as suas impressões sobre Harry Potter? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Essa capa é muito amor!!! ♥

    Nossa Rafa, também reli vezes sem conta a série!! Às vezes, não tinha nada para ler, pegava a série toda. Às vezes só o quarto livro (porque adoro a discussão final!) outras só o sétimo, outras ainda só o primeiro!

    Quero fazer uma coleção em inglês tb, mas meus meninos dos olhos são os de capa dura com jacket! *-* Espero que eles não esgotem até eu conseguir comprar! rs

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, não duvido que um dia eu também faça a coleção em hard cover uhasuash terei que ver o que vou fazer com 3 coleções de HP, mas... é HP, né?
      Eu sempre releio todos na sequência, acabo tão envolvida que preciso continuar nesse mundo hehe
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Rafa tudo bom? Li pela primeira vez HP esse ano... Algo meio anormal pois todos que conheço da minha idade já leram quando eram adolescentes...
    Achei pra um livro introdutório : ótimo! Foi realmente divertido! Sinto que vou gostar muito da serie... Agora to lendo o segundo.

    Tenho que dizer sobre essa edição: e linda! To até colocando os meus pra troca a medida que vou lendo pra comprar i box dessa edição. Apesar de ser paperback me apaixonei por ela....

    Forever a Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pela primeira vez? Sempre fico curiosa quando alguém me diz que está lendo, saber se também se torna um apaixonado pela série. Vou acompanhar suas resenhas no seu blog!
      Beijos

      Excluir
  3. HP é um livro infantil. Ao mesmo o primeiro. Por isso a leitura dele é tão fácil e fluida em qualquer língua. <3
    Abraço,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, faz sentido. Um dia ainda quero ler ele em, não sei, quem sabe francês haha
      Deve ser maravilhoso até em hebraico, né? s2 haha
      Beijos

      Excluir
  4. Oi Rafa, vc ler em inglês é mesmo outro nível! vi todos os filmes de HP , tenho a série de livros completa em português, mas ainda não li nenhum. ;/
    É bem gostoso reler os livros que amamos, é como uma dádiva nossa.

    Beijos

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, vc tem que ler *.* muito provavelmente vai se apaixonar!
      Beijos

      Excluir
  5. Seu post me fez lembrar a minha tentativa fracassada ano passado de reler a série, rs. Eu só reli o primeiro e depois parei.

    Quando eu estiver lendo em inglês - algo que ainda vai demorar - vou sofrer para escolher entre as capas de 15 anos e o baú de capa dura.

    Beijos
    Fê - Leitora Incomum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São lindas, né? É uma dúvida cruel hehe

      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Como pensar mais sobre sexo - Alain de Botton

Editora: Objetiva
Páginas: 152
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2012 com o título de How to Think More About Sex

Não pensamos muito sobre sexo; na verdade pensamos sobre ele da maneira errada. Assim declara Alain de Botton neste livro rigoroso e honesto cujo objetivo é nos guiar por esta experiência íntima e excitante – porém muitas vezes confusa e difícil - que é o sexo. Poucos de nós acreditamos ser completamente normais no que diz respeito ao sexo, e o que se presume que deveríamos estar sentindo raramente é a realidade. Este livro argumenta que o sexo do século XXI está fadado a ser um jogo de equilíbrio entre amor e desejo, aventura e comprometimento. Abrangendo assuntos como desejo, fetichismo, adultério e pornografia, Alain de Botton reflete sobre os dilemas da sexualidade moderna, oferecendo insights e conforto para nos ajudar a pensar mais profunda e sabiamente sobre o sexo que estamos, ou não, fazendo. A partir de meados do século XX, o discurso sobre o sexo foi s…