Pular para o conteúdo principal

Resenha | O Demonologista - Andrew Pyper


Editora: Darkside
Páginas: 320
Estrelas: ✬✬✬✬✬
Publicado em 2013.


"A maior astúcia do Diabo é nos convencer de que ele não existe", escreveu o poeta francês Charles Baudelaire. Já a grande astúcia de Andrew Pyper, autor de O Demonologista (DarkSide® Books, 2015), é fazer até o mais cético dos leitores duvidar de suas certezas. E, se possível, evitar caminhos mal-iluminados.
O personagem que dá título ao best-seller internacional é David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo - principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Para David, o Anjo Caído é apenas um ser mitológico. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas um boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma.
Enquanto corre contra o tempo, David precisa decifrar pistas escondidas no clássico Paraíso Perdido, e usar tudo o que aprendeu para enfrentar O Inominável e salvar sua filha do Inferno.

Eu ganhei este livro de aniversário e logo em seguida já entrou na lista de leituras. Com uma capa divina, edição fantástica e todo o hype, não me contive e fui logo ler.

O livro conta a história de David Ullman, um professor universitário que é procurado por uma mulher misteriosa, para que ele ajude a resolver um mistério que aconteceu.

David é especializado em Paraíso Perdido, de John Milton. E tudo que ele sabe do mistério, é que sua especialização é necessária para a resolução dele.

Eu não gosto muito de contar a história de livros como este, porque metade da graça está em se jogar no livro e descobrir por si mesmo. Foi isto que eu fiz, e é o que eu recomendo, eu comecei a lê-lo numa noite e terminei pela manhã do dia seguinte - aproveitando uma visita da minha mãe, porque né, eu estava com medo de lê-lo sozinha.

Mas meus medos foram infundados, em parte. O livro é mais apreensivo do que de terror, fiquei assustada somente em algumas partes, mas nada muito grave.

Eu gosto muito de intertextualidade entre livros, então pontos para Andrew Pyper. Fiquei curiosa pra ler a obra de Milton, quem sabe um dia.

A temática, como o próprio título entrega, são demônios. Demônios que ultrapassam a barreira do sobrenatural e vivem entre nós. Nos pregando peças, nos deixando loucos. O que o demônio quer com David? E com sua filha? E por que justamente com eles?

Enfim, é um livro para se ler num fôlego só. Encantador e viciante. Como sempre, recomendo a leitura acompanhado de alguém - embora não seja tão terror assim. Gostei bastante!


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever