Pular para o conteúdo principal

Foco + A Arte de Fazer Acontecer

Nestes últimos tempos, acabei lendo dois livros com temas relacionados, Foco e A Arte de Fazer Acontecer. Foco foi uma leitura inédita, enquanto que o livro do GTD foi uma releitura.

Foco foi uma leitura valorosa, mas incômoda de fazer, porque perceber que eu não estava focada na leitura, e ter o autor pontuando isso, foi bem frustrante.

Ele explora várias pesquisas e fala sobre vários assuntos relacionados ao foco. Se me pedissem para explicar todo o raciocínio desenvolvido no livro, eu não seria capaz (oi, foco!), mas faz sentido todas as relações que ele faz ao longo do livro.

Ele me chamou a atenção porque eu dava de cara com ele aonde quer que eu fosse. É como se ele me dissesse que preciso de foco. Finalmente adquiri numa promoção da Amazon, no formato e-book. Eu sou daquelas que gosta de dizer que consegue multitarefar, prática bem repudiada hoje.

Um dos experimentos, explorados no livro, que mais me marcou foi feito com crianças. Era oferecido um marshmallow e se a criança conseguisse esperar dez minutos sem comer, ganharia dois. Ele explica que as crianças que conseguiam esperar, eram aquelas que tiravam o foco do doce para colocar em outra coisa. E depois, quando crescidas, eram as mais bem sucedidas.

Enfim, foi um tapa na cara e uma boa leitura, cheia de dados interessantes. Provavelmente, daqui um tempo, lerei novamente.

A minha releitura de A Arte de Fazer Acontecer teve início pelo mesmo motivo, dei de cara com o livro. Era época de fim de ano e desde outubro eu estava bem desorganizada e sem disposição.

De cara eu já aviso que eu não aplico o GTD de maneira completa na minha vida. Principalmente porque é um sistema cheio de detalhes e numa primeira leitura, não captei toda a mensagem do autor. O que ajuda nessa empreitada é o blog Vida Organizada, onde a Thais esmiuça os conceitos do GTD. Assim, vou indo por partes.

Pra mim é um grande atrativo a possibilidade de viver com a mente clara como água, ou seja, viver sabendo que está tudo sob controle, todas as informações estão armazenadas e serão lembradas quando necessário. Posso estar errada, mas "mente clara como água" é o equivalente de "estado de fluxo" referido no livro Foco, quando sua mente está totalmente presente na atividade que você está realizando no momento, bastante notável em atletas de alto desempenho.

Depois da releitura, eu continuo sem implementar o GTD na sua completude, mas consegui voltar ao estado de organização de antes, me sentir mais no controle da minha vida.

Os dois livros valem a leitura para quem quiser tirar melhor proveito da vida, porque, se tem uma coisa que eu aprendi nessa minha tentativa de ser organizada é que o tempo passa independentemente da sua vontade e sem organização, não será você que escolherá os rumos da sua vida; o tempo continuará passando, a vida acontecendo e as grandes decisões não serão tomadas de maneira consciente. 

"A goal without a plan is just a wish." Antoine de Saint-Exupéry


Siga o blog!
Instagram | Skoob | Twitter | Youtube



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever