Pular para o conteúdo principal

Projeto 1001 #2 | A Redoma de Vidro - Sylvia Plath

Editora: Globo
Páginas: 221
Estrelas
Skoob
Publicado originalmente em 1963 com o título de The Bell Jar

A vulnerable young girl wins a dream assignment on a big-time New York fashion magazine and finds herself plunged into a nightmare. An autobiographical account of Sylvia Plaths own mental breakdown and suicide attempt, The Bell Jar is more than a confessional novel, it is a comic but painful statement of what happens to a woman's aspirations in a society that refuses to take them seriously... a society that expects electroshock to cure the despair of a sensitive, questioning young artist whose search for identity becomes a terrifying descent toward madness.


Depois de assistir alguns vídeos da Tati Feltrin falando sobre esse livro e ver que é um dos livros citados no 1001 livros para ler antes de morrer, admito, piratiei (mas pretendo comprar a versão física quando encontrar em algum lugar). Aliás, é crueldade com os leitores brasileiros não existir em livraria/sebo nenhum do Brasil edições desse livro.

Esse é um romance semi-autobiográfico de um certo verão na vida da autora quando ela entra em depressão e tenta suicídio. Ele não foi bem aceito na época de publicação, mas hoje é considerado romance "gêmeo" com O Apanhador no Campo de Centeio, até pelas coincidências nas datas de publicação dos dois romances.

Ele é narrado em primeira pessoa e situado no presente, com breves voltas ao passado para explicar alguns pontos da história.

Esther é uma estudante prodígio, daquelas que vem de família não-tão-rica, que tem que agarrar as oportunidades que a vida dá para seguir em frente. Ela faz isso, acaba ganhando inúmeros concursos de escrita. Num deles, ela ganha um mês em Nova York para um estágio numa revista famosa (a autora trabalhou na Seventeen nessa época) com todas as despesas pagas.

É uma vida glamourosa e a personagem se deslumbra com todo aquele brilho e inveja essa maneira de vida. Ela quer ver tudo o que a vida tem para mostrar, explorar todas as opções. Ou pelo menos, ela diz que quer, porém são poucos os momentos em que ela parecesse ter prazer com os eventos que participa. Ela está mais para expectadora do que para participante.

Junto com Doreen, uma de suas colegas, Esther vive esse mês entre bebidas, eventos e homens, sempre lembrando de pitadas do passado. De um antigo namorado que era estudante de medicina e agora está hospitalizado com tuberculose, ou de algumas mulheres que tentaram ajudá-la com sua escrita, mas nunca conseguiram.

A linha entre a sanidade e a loucura fica em algum lugar dentre as histórias desse livro. Seja no estágio em Nova York, ou nas pitadas de passado, ou quando ela volta para casa. É somente quando ela volta para casa que conseguimos entender o que se passa na cabeça dela.

Numa das últimas "cenas" de NY, ela joga pela janela suas roupas. Pensando friamente não é uma atitude normal, porém, no livro, acaba passando desapercebido. Eu fiquei imaginando a beleza da cena que ela estava descrevendo, das cores descendo sobre as luzes da cidade. Porém, quando ela chega em casa, é rejeitada de um programa de escrita e isso é a gota d'água, talvez.

Um aspecto do livro que foi muito interessante foi a posição bastante clara que a protagonista tem sobre relações homem x mulher e que se evidenciam ao longo do livro. Em certa altura, ela está lendo um artigo que sua mãe lhe mandou, falando sobre como uma mulher deve casar virgem porque se a mulher se entregar antes do casamento, o homem perde o interesse, também que a visão de mundo dos homens é diferente das mulheres, assim como seus sentimentos, e somente o casamento pode unir esses mundos. "Uma coisa que esse artigo não me parecia considerar era como uma garota se sentia." - Ela pensou, depois de ler.

A narrativa da autora é bastante lírica, é bonita de ser lida e, grande mérito, não é difícil. Esse livro é acessível ao público. Traz uma temática bastante pertinente, porém é um livro forte.

No pequeno texto que acompanha as recomendações de livros no 1001 livros para ler antes de morrer, é comentado que esse romance é aclamado por causa da sua visão sobre o papel da mulher na sociedade da época.

"Eu vi minha vida estendendo seus galhos em minha frente como a figueira verde da história. Da ponta de cada ramo, como um figo roxo e grande, um maravilhoso futuro acenava e piscava. Um figo era um marido e um lar feliz e filhos, e o outro figo era uma famosa poetisa e outro figo era uma brilhante professora, e outro figo era E Gê, a editora incrível, e outro figo era Europa e África e América do Sul, e outro figo era Constantin e Sócrates e Attila e um pacote de outros amores com nomes esquisitos e profissões incomuns, e outro figo era a campeã da equipe olímpica, e além e acima desses figos haviam muitos outros figos que eu não podia distinguir bem.
Eu me vi sentada na bifurcação dos galhos desta figueira, morrendo de fome, só porque eu não conseguia me decidir de qual figo escolher. Eu queria cada um deles, mas escolher um significaria perder todo o resto, e, enquanto eu estava sentada ali, incapaz de me decidir, os figos começaram a se enrugar e ficarem pretos e, um por um, eles caíram ao chão, aos meus pés."

Você já leu? Pretende ler? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Pretendo ler esse livro. Com tantos elogios tive q ir atrás dele


    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ouvi dizer que vão relançar ele esse ano, se for verdade, vou comprar uma edição para mim. Provavelmente vou querer relê-lo num futuro não-tão-distante!

      Bjs

      Excluir
  2. Hey *-*
    tão chato quando não encontramos o livro nem em sebo né :(
    Eu fico chateada de não encontrar varias edições que procuro a venda.

    Bom eu fiquei curiosa, principalmente por se tratar de um livro semi-autobiográfico.

    Pena que já sei que terei dificuldades para encontrar.

    Beijos
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Eu, particularmente, gosto de comprar livros em sebos. Não tenho preconceitos. E não ter encontrado esse livro de jeito nenhum me deixou muuito irritada haha
      Bjs

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?

    Primeira coisa que tenho que dizer é que adorei esse livro 1001 livros para ler antes de morrer. Quero comprar.

    Parabéns pela resenha, esta ótima. Que pena não ter o livro para comprar né? :(

    Beijos, Equipe CR.
    Visite: Cereja Rocks / Loja Cereja Rocks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Td certo!
      Eu gostei bastante desse livro, esses dias o vi em promoção no Submarino por 25 reais se não me engano. Acho que super vale a pena!
      Obrigada e bjs!

      Excluir
  4. Oie, tudo bom?
    Eu já conhecia a autora, mas nunca li nenhum livro dela.
    Achei a premissa desse livro muito interessante por tratar do papel da mulher na sociedade da época. Vou anotar a dica, pois pretendo ler mais clássicos.
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. So vejo comentarios positivos sobre ess livro. Ja to com o ebook dele :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

TBR Março/2016

Eu poderia ter vergonha de dizer que não concluí a minha meta de Fevereiro, porém, considerando que eu sempre soube que era ambiciosa, não tenho haha
Faltou ler: O Segundo Sexo, The Two Towers e Ases nas Alturas. Faltou em partes... o único que eu não consegui nem pegar para começar foi o Ases nas Alturas. Eu li metade de The Two Towers, restando a outra metade para março. E consegui ler mais uma parte d'O Segundo Sexo.
Então, não foi um fracasso total, né? Bom, estes livros vão passar para a meta de março com alguns acréscimos:
Fundação e Terra, continuando o box extra da Fundação. Estou loooouca para saber o que vai acontecer em seguida!
Clube da Luta, porque a Dani do Só Lendo comentou sobre e fiquei muito curiosa para saber o que eu iria achar. Terminei de ler ontem mesmo, e como eu nunca tinha percebido o sabonete na capa?
A luz fantástica do Terry Pratchett, seguindo com a série Discworld. Fiz a loucura de comprar a série inteira no sebo, agora tenho que ler. Começarei a ler h…