Pular para o conteúdo principal

Resenha | Quem Sabe um Dia - Lauren Graham

Editora: Record
Páginas: 368
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2013 com o título de Someday, Someday, Maybe

Franny Banks é uma atriz lutando em Nova York, com apenas seis meses para o prazo de três anos que deu a si mesma para ser bem sucedida. Mas até agora, tudo o que ela tem para mostrar por seus esforços é uma única linha em um anúncio de camisolas feias de Natal e um emprego de garçonete degradante. Ela vive no Brooklyn, com duas companheiras de quarto, Jane - sua melhor amiga de faculdade, e Dan, um escritor de ficção-científica, que é muito, definitivamente não namorável. E está lutando por seus sentimentos por um cara suspeitamente charmoso de sua aula de atuação, tudo isso enquanto tenta encontrar um shampoo para seus cabelos que realmente funcione. Enquanto isso, ela sonha em fazer um trabalho "importante", mas parece que ela só consegue audições para propagandas de detergente líquido e comerciais de manteiga de amendoim. É díficil dizer o que vai acontecer primeiro: ela vai ficar sem tempo ou sem dinheiro, mas de qualquer forma, o fracasso significaria enfrentar o fato de que ela não tem absolutamente nenhum habilidade para sobreviver no mundo real. Seu pai quer que ela volte para casa e vire professora, seu agente não vai chamá-la de volta, e sua colega de aulas, Penelope, que parece incentivadora, pode só tornar a competição ainda mais difícil. Quem Sabe Um Dia é uma estreia engraçada e encantadora sobre encontrar a si mesmo, um amor e o mais difícil de tudo, encontrar um trabalho como atriz.

Claro que tive que ler esse livro por se tratar da Lauren Graham, atriz que fez Gilmore Girls como Lorelai e agora faz Sarah, em Parenthood.  Ambos os papéis são ótimos e agora, como escritora, não fiquei decepcionada também.

Acredito que a Lauren deve ter se inspirado em si mesma para escrever esse livro. Afinal, Franny é uma aspirante a atriz que está tentando ganhar a vida em Nova York. Eu imaginei a Franny com a mesma aparência da autora, foi impossível separar as duas nesse sentido.

Se trata de um chick-lit bem bacana. Cheio de facetas, como dá para notar pela sinopse. A história principal talvez não seja o romance, ou seja em mesma medida sobre a carreira dela. Achei que o romance ficou se encaixando na vida dela e não ao contrário, o que deu um toque muito real.

Adorei conhecer um pouco dos bastidores do mundo do entretenimento, com seus atores e roteiristas. Tem aspectos bem glamourosos, assim como aspectos de futilidade. Esse cara que ela se envolve, seu colega do curso de atuação é aquele tipo de pessoa que se aproveita das pessoas, das conexões para subir na vida.

O livro intercala entre a história de Franny e anotações de sua agenda, já que seu prazo de 3 anos para "fazer bonito" na cidade grande está acabando. Eu gostei bastante dessa parte do livro, porque me identifiquei. Quem nunca se deu um prazo para fazer alguma coisa? Quase como resoluções de ano novo, fadadas ao fracasso.

Os personagens são bem construídos, não são rasos. É claro que o passado de Franny é mais explorado, por ela ser protagonista, mas os outros também acabam se encaixando. Aliás, Franny tem esse nome em homenagem a Franny do livro Franny e Zooey, do J. D. Salinger, mesmo autor de O Apanhador no Campo de Centeio. Tem uma parte no livro em que ela entende a personagem Franny do Salinger, muito amor ♥

É um chick-lit gostoso de se ler. Achei que ele ficou a cara da atriz. Recomendado para quem acompanha a Lauren Graham ou está afim de ler um romance despretensioso.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | As Florestas do Silêncio - Emily Rodda

Deltora Quest - Livro 1 Editora : Fundamento Páginas : 104 Estrelas :  ✬ ✬ ✬ ✬ Skoob Publicado originalmente em 2000 com o título de The Forests of Silence O maligno Senhor das Sombras está tramando invadir Deltora e escravizar o seu povo. Há somente uma coisa que o impede: o mágico Cinturão de Deltora com suas sete pedras preciosas de fantástico e misterioso poder. Quando as pedras são roubadas e escondidas em locais sombrios e terríveis em todo o reino, o Senhor das Sombras triunfa e Deltora está perdida. Em segredo, com apenas um mapa desenhado à mão para guia-los, dois estranhos companheiros saem numa perigosa busca. Determinados a encontrar as pedras perdidas e livrar seu país do tirano, eles lutam para atingir sua primeira meta - as sinistras "Florestas do Silêncio".

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro