Pular para o conteúdo principal

Resenha | A Máquina de Contar Histórias - Maurício Gomyde

Editora: Novo Conceito
Páginas: 192
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2014.

Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.

Essa é a história da família V. Vinícius Becker, renomado escritor, traduzido para não sei quantas línguas, autor de inúmeras histórias e titular de um extremo sucesso se vê sem chão com a morte da mulher, morte precoce causada pela leucemia.

Em certo ponto da história, ele encontra um vídeo feito pela filha mais velha, Valentina, e sua esposa, Viviana, no hospital dias antes de morrer onde ela elenca os seus principais desejos. Dentre eles, era ter a família V reunida mais uma vez. Só que Vinícius não estava presente enquanto ela morria. Tudo muda a partir dai.

A história é triste. Eu li, em e-book, nos momentos de ócio no estágio e fazendo esteira na academia e por diversas vezes quase caíram lágrimas durante a leitura - se eu fosse um pouco mais sensível, diria para não lê-lo em público!

Valentina e Vida, suas filhas, não o conhecem e a mais velha tem um forte ressentimento por ele ter deixado a esposa para morrer nas suas mãos e não ficou presente para enfrentar a doença. Ele precisa reconquistar o amor das filhas, seu lugar como pai, ao mesmo tempo em que se corrói de remorso por ter se afastado da família e o luto pela esposa.

Valentina é um adolescente irritante. Ela tem seus motivos para ser revoltada, mas, nossa, é birrenta - haha! Vida tem quatro anos e meio, logo, não entende por que o pai e a irmã brigam tanto, nem entende a morte da mãe, ela traz um aspecto gracinha para o livro. 

O livro tem de tudo um pouco, pois traz aspectos do passado, tanto passado do casal, quanto passado do Vinícius mesmo, quando ele decidiu se tornar escritor. Seus pais tentavam fazê-lo escolher uma profissão "séria", voltada para as ciências, a engenharia e não "essa bobagem" de literatura.

Tá aí um livro nacional muito bom. Gostei bastante da história, gostei das emoções que ela me trouxe. Se não gostei de todos os personagens, pelo menos senti seus sentimentos e entendi suas razões. É um livro triste e bonito.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

  1. Não sabia que era um livro triste.,
    Vejo bastante resenha oositiva desse livro mas confesso que ainda não me chamou tanta atenção assim a ponto de ficar louca por ele,.
    Mas quem sabe ne..
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, não gerou loucura, mas é um livro bem legal *.*

      Bjs

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Como pensar mais sobre sexo - Alain de Botton

Editora: Objetiva
Páginas: 152
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2012 com o título de How to Think More About Sex

Não pensamos muito sobre sexo; na verdade pensamos sobre ele da maneira errada. Assim declara Alain de Botton neste livro rigoroso e honesto cujo objetivo é nos guiar por esta experiência íntima e excitante – porém muitas vezes confusa e difícil - que é o sexo. Poucos de nós acreditamos ser completamente normais no que diz respeito ao sexo, e o que se presume que deveríamos estar sentindo raramente é a realidade. Este livro argumenta que o sexo do século XXI está fadado a ser um jogo de equilíbrio entre amor e desejo, aventura e comprometimento. Abrangendo assuntos como desejo, fetichismo, adultério e pornografia, Alain de Botton reflete sobre os dilemas da sexualidade moderna, oferecendo insights e conforto para nos ajudar a pensar mais profunda e sabiamente sobre o sexo que estamos, ou não, fazendo. A partir de meados do século XX, o discurso sobre o sexo foi s…