Pular para o conteúdo principal

Resenha | Um Estudo em Vermelho - Sir Arthur Conan Doyle


Editora: Martin Claret
Páginas: 149
Estrelas: ✬✬✬✬
Publicado em 1888.


Um estudo em vermelho marca o início da trajetória de sucesso do mair detetive da Literatura mundial: Sherlock Holmes. Publicado originalmente na revista Beeton's Chritmas Annual em novembro de 1887, foi finalmente lançado em formato de livro em julho de 1888. A obra narra o primeiro encontro do detetive com seu fiel amigo Dr. Watson, imersos em mais um intrigante mistério a ser solucionado. A minúcia da narrativa permite ao leitor conhecer os costumes da época e os acontecimentos históricos, enriquecendo a trama do caso. Com um desfecho que deixará os leitores sem ar, Um Estudo Em Vermelho é mais uma obra genial de Sir Arthur Conan Doyle.

Eu sempre fui encantada com o mito do Sherlock Holmes, é uma daquelas figuras que povoam a cabeça antes mesmo de sabermos o que realmente é. Eu já li anteriormente algum livro dele, mas faz tanto tempo que já nem me lembro, resolvi voltar a ler, agora com mais atenção.

Esta é a primeira história do famoso detetive. O livro é narrado pelo Watson, que recém voltou do Afeganistão, e por um acaso do destino, acaba cruzando caminhos com o Sherlock, e eles decidem dividir um apartamento.

É bem inicial, próprio mesmo para adentrar na personalidade fascinante do Sherlock. Na verdade, ocupamos o lugar do Watson, fazendo indagações a respeito da profissão de Sherlock, desconfiados das visitas que ele recebe e envolvidos de repente no mistério.

O livro é dividido em duas partes. Primeiro, com Sherlock e Watson se conhecendo e o mistério. E segundo, o que levou o crime a ser cometido. Eu já encontrei essa técnica de escrita em outros livros, como O Clube dos Suicidas. Será que era "moda" na época?

Não me envolvi tanto com os casos como me envolvo em livros da Agatha Christie, mas isso é compensado pela surpresa do final da história. A escrita é muito objetiva e Sherlock só explica sua maneira de pensar ao final do livro, então, quando vão acontecendo os crimes, o leitor fica tentando adivinhar o que será que ele viu naquela cena.

Eu gostei bastante deste livro, em breve pretendo continuar lendo as peripécias de Sherlock Holmes. É um livro curto e recomendado.

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

  1. Adoro as histórias do Sherlock Holmes e amo td que é relacionado a ele como os filmes e as séries. O meu Sherlock favorito é o interpretado por Bendict Cumberbatch da série Sherlock. Já li Um Estudo em Vermelho mas confesso que não é uma das minhas histórias favoritas mas mesmo assim as deduções surpreendentes de Sherlock são incríveis.
    bjus
    http://reticenciasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Vi na Livraria | A Taberna - Émile Zola

Um livro depravado do século XIX.