Pular para o conteúdo principal

Resenha | Anexos - Rainbow Rowell

Editora: Novo Século
Páginas: 368
Estrelas: ✬✬✬
Publicado em 2011.


Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas.Enquanto isso, Lincoln O'Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser agente de segurança da internet, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonando por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria...?


Estou dividida com os livros da Rainbow Rowell, já li e comentei por aqui sobre Fangirl e Eleanor & Park. Fangirl, foi meio decepcionante, esperava gostar mais. E Eleanor & Park, me deixou sem chão, adorei. Já Anexos ficou devendo também. 

O livro intercala entre e-mails trocados por Beth e Jennifer, ambas são jornalistas e super amigas; e Lincoln, que é contratado pelo jornal para monitorar os e-mails dos funcionários. Estamos na década de 80/90, ninguém pensava ainda em privacidade on-line, creio.

Lincoln deveria ler os e-mails marcados como com conteúdo impróprio para o trabalho e advertir os funcionários de que esse tipo de conversa não era permitido no jornal. Entretanto, acaba envolvido com as histórias de Beth e de Jennifer, e não só não as adverte, como lê todas as conversas que elas trocam - acompanha as duas como quem acompanha novela.

Aos poucos, ele se apaixona por uma das moças. Só que uma é casada e a outra está em um relacionamento tem 9 anos. Também, o Lincoln não sabe muito o que quer da vida, ainda mora com a mãe e não sabe que rumo tomar.

Bom, o aspecto do romance até que é fofinho. Ele se apaixonar por alguém que nunca viu, tornar-se protetor das moças e no meio disso tudo tentar dar um jeito na sua situação.

Porém, o livro "leu" como um young adult enquanto "vendeu" como livro adulto. Explico, teoricamente, trata-se de um livro adulto, tanto pela idade dos personagens, quanto pela temática de trabalho. Entretanto, os personagens tem atitudes de adolescentes, o romance foi totalmente fora da realidade adulta, e, embora fofo, não convenceu.

Por enquanto, o placar está 2x1 nos livros da Rainbow, me falta ler "Ligações" ainda. Mas, sinceramente, a vontade está um pouco baixa para lê-los. Quem sabe mais pra frente...


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora : Bertrand Páginas : 728 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e persever