Pular para o conteúdo principal

10 Livros que ainda quero/pretendo ler em 2014!


O ano já está acabando - ainda não acredito que já estamos entrando em outubro. Na minha listinha infinita de livros por ler, escolhi 10 que ainda quero ler esse ano!




- Coração de Tinta - Cornelia Funke
- A Ferro e Fogo I, Tempo de Solidão - Josué Guimarães
- O Guia do Mochileiro das Galáxias - Douglas Adams
- Tess - Thomas Hardy
- Papillon - Henri Charriere


- Battle Royale - Koushun Takami
- Precisamos falar sobre o Kevin - Lionel Shriver
- Wild Cards, O Começo de Tudo - organizado por George R. R. Martin
- Simplesmente Ana - Marina Carvalho
- Todo dia - David Levithan

Meu ritmo de leituras é um tanto acelerado, vocês sabem, vou ler mais de 10 livros até o final do ano se tudo correr na normalidade. Mas esses 10 são as vontades literárias do momento, os "must read". 

Então, são escolhas super ecléticas, para não enjoar de um só gênero. Não sei vocês, mas eu gosto de variar nas leituras, assim parece que estou sempre conhecendo um mundo novo. 

Minhas escolhas são ambiciosas, tem alguns livros grandinhos aí no meio. Mas são todos livros que eu quero ler para ontem! Que estou muito ansiosa para ler desde que chegaram e por um motivo ou outro, ainda não li.

Como vocês podem ver, também tem vários começos de séries aí nessa lista. Coração de Tinta, A Ferro de Fogo, O Guia do Mochileiro das Galáxias e Wild Cards. Tirando Wild Cards, já toda a coleção aqui em casa, então... se eu gostar dos livros, quero ler toda a série ainda esse ano, mas não vou me comprometer. Afinal, me conheço e sei que alguns livros vão pular na frente ou no lugar desses citados - sou daquelas que não tem muita disciplina haha

Eu marquei a postagem como TAG, porque gosto de ver esse tipo de lista em outros blogs. Se você tiver feito ou for fazer uma lista parecida, deixe o link, eu adoraria visitar e comentar! ;)

E você? Tem algum livro que precisa ler esse ano ainda? Deixe nos comentários!

Comentários

  1. Ouvi falar que Papillon é um ótimo livro. Ainda pretendo ler Austenlândia esse ano. E mais uma lista infinita também, haha.

    Beijos - Tão doce e tão amarga.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, todo mundo fala super bem de Papillon, estou ansiosa *-*
      Austenlândia é ótimo, me diverti muito! hehe

      Bjs

      Excluir
  2. Opa! Vai ler Batte Royale :D Li e curti muito!
    Acho muito bom também variar os gêneros, não cansa e nos da vontade de sempre entrar em novos livros pra conhecer novos mundos. Tenho vários livros novos, uns 33 e sei que mais da metade deixarei para 2015!
    Boa sorte.

    Gabryel Fellipe e algo - Confins Literários [agora em parceria com Rudimar Baroncello]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Battle Royale anda recomendadíssimo *-* minha mãe leu e achou ótimo hehe
      O importante é ler, né? Em 2014 e 2015 hehe

      Beijão!

      Excluir
  3. Quero muito ler Battle Royale, apesar de o tamanho do livro me intimidar um pouco.
    Todo dia ja tenho aqui em casa mas nao li ainda..
    Resolvi fazer uma lista dessa la no blog e citei o seu lá..
    Boas leituras!
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que a minha mãe leu Battle Royale e disse que mesmo grande, a leitura flui muito! Que vai rapidinho hehe
      Já fui lá comentar no seu post!

      Beijão e boas leituras!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Leituras da Semana #42

Nessa semana tirei do caminho um calhamaço de 800 páginas, Outlander - A viajante do tempo. Que livro bom, envolvente, da categoria é grande, mas é rapidíssimo de ser lido.

Conta a história de Claire, que vive em 1945, salvo engano. Ela é casada, mas passou afastada do marido graças à guerra, quando serviu de enfermeira. Eles estão finalmente indo construir um lar quando, num monumento escocês, um agrupado de pedras bem estranho, ela volta no tempo e reaparece 200 anos antes, na época dos clãs escoceses.

Lá, ela é obrigada a construir uma nova vida, pelo menos até que consiga voltar para o seu próprio tempo. Só que ela acaba envolvida numa outra guerra, e suspeitam que ela seja uma espiã inglesa. Bom, aí a vida complica. Mas ao mesmo tempo, ela conhece Jamie ♥ e até que não fica tão difícil assim viver sem banhos quentes.

Gostei muito do livro, acho que ele é super abrangente em temáticas, tem diálogos interessantes e engraçados e por mais que seja longo, as páginas foram bem explorad…

Resenha | Os Instrumentos Mortais - Cassandra Clare (parte 2)

Se vocês viram a parte 1 sobre Os Instrumentos Mortais, vocês sabem que eu dividi a série em duas trilogias para comentar por aqui. Naquele post eu explico que, na minha opinião, essa divisão é viável e facilita para comentar sem dar spoilers. Lembrando que terá spoilers dos livros anteriores.
Os três últimos livros da série são: Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial.
Bom, quero começar falando que graças a Deus no terceiro livro "descobrimos" que a Clary e o Jace não são irmãos. Eu já comentei na parte 1 que isso tinha ficado óbvio para mim desde o momento em que a autora resolveu dar essa guinada na história. Achei desnecessário, inacreditável e me irritou muito quando estava lendo.

Nessa segunda trilogia, há uma troca de vilões, agora Sebastian mostrou a que veio. Que, sinceramente, também é perceptível ao leitor desde que o personagem é introduzido.

Porém, tirando Cidade dos Anjos Caídos, que eu não gostei nada, acho que a história…