Pular para o conteúdo principal

Leituras da Semana #38

Outra semana bem gorducha em livros lidos. Eu tinha que terminar os livros da TBR de Janeiro para voltar para casa zerada em livros por ler e, as vezes, metas me estimulam tanto que eu extrapolo. Foi o caso dessa semana.

Comecei terminando de ler a série Os Instrumentos Mortais com Cidade do Fogo Celestial, um final digno. Ainda vou falar sobre essa série aqui no blog. E aproveitando o embalo li As Crônicas de Bane, um livrinho bem dispensável, para ser sincera.

Depois, terminei de ler O Rei de Amarelo. Bah, eu esperava algo melhorzinho, mas não consegui me envolver na mitologia do rei e foram poucos os contos que gostei. Não que ele seja ruim, alguns contos são realmente bons, mas outros foram, bem, menos do que eu esperava.

Na madrugada antes de viajar, eu resolvi ler O Vilarejo, do Raphael Montes. Esse sim, contos sangrentos e macabros, não recomendados para a madrugada. Gostei dos contos individualmente e gostei de como eles se entrelaçam.

E aí, chegando em casa, já risquei dois livros da TBR (tentando cumprir a meta-mor de 2016, que é diminuí-la). O Diário Secreto de Lizzie Bennet me surpreendeu porque é um livro adaptado da web série (que aliás, eu já comentei aqui), e por isso, eu esperava aquele climão de livro-roteiro, só que me enganei! O livro lê super bem e é absolutamente divertido.

E para fechar os concluídos da semana, peguei um livro que comprei logo quando lançou, mas fui guardando, guardando, guardando, e um ano depois, cá estamos, Homens, mulheres & filhos. Gostei demais da temática do livro, que envolve sexo, relacionamentos e a sociedade digital. É um livro pesado e tem um tom sarcástico e crítico fantástico.

Avancei bastante em Guerra e Paz, concluí o primeiro Tomo do primeiro volume. Estou tentando terminar o primeiro volume em janeiro e ler o segundo em fevereiro. Gostando bastante de como o Tolstoi intercala narrativas de guerra propriamente dita, nos campos de batalha e suas estratégias, com períodos de paz, na sociedade russa e os relacionamentos entre os nobres. Acho que consegui me localizar entre todos os personagens e aproveitar melhor a leitura.

Essa semana também fui assistir ao novo Star Wars, amando BB8, quando vão lançar droides domésticos? Quero! E nesta semana, volto à rotina semi-normal, volto ao trabalho (tchau, férias!), mas continuo em férias da faculdade. 


E você? Tem lido o que? Deixe nos comentários!
Siga o blog!
Instagram | Skoob | Twitter | Youtube



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora: Faro Editorial Páginas: 128 Estrelas: ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831.

A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro até mesmo para desmasc…

Resenha | O Curioso Caso de Benjamin Button - F. Scott Fitzgerald

Editora: L&PM
Páginas: 64
Estrelas: ✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 1922 com o título de The Curious Case of Benjamin Button

Em uma introdução a “O curioso caso de Benjamin Button”, Fitzgerald escreveu que baseou esta história numa observação de Mark Twain – ele afirmava ser uma pena que a melhor parte da vida viesse logo ao começo e a pior parte ficasse para o final. Neste conto, Fitzgerald inverte esta lógica: o esperado bebê do casal Button nasce com setenta anos, um metro e 73 centímetros de altura, uma barba proeminente e muitos cabelos brancos. Para além do estranhamento inicial que o nascimento causa na Baltimore do século XIX, Benjamin, a cada dia que passa, fica menos enrugado, menos curvado e mais jovial. Publicado pela primeira vez na revista Collier’s, em 1921, o conto foi eternizado no cinema com a atuação de Brad Pitt, que interpreta Benjamin durante toda a vida. Este personagem que vai rejuvenescendo ao longo dos anos levanta uma das maiores questões da humanidade:…