Pular para o conteúdo principal

Resenha | Perdão, Leonard Peacock - Matthew Quick

Editora: Intrínseca
Páginas: 224
Estrelas: ✬✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2013 com o título de Forgive Me, Leonard Peacock


Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

Essa foi uma das últimas e melhores leituras de 2014. Acredito que o li no momento certo, no dia certo, na posição certa, tudo certo. Me envolvi de uma maneira extraordinária com os personagens, sorvi suas palavras. Enfim, gostei muito.

Ele conta a história de Leonard Peacock, que hoje em seu aniversário, pretende matar um ex-melhor amigo e cometer suicídio. Ao decorrer do dia, ele vai fazendo suas despedidas das pessoas que marcaram sua vida, contando suas histórias e expondo seus motivos para fazer o que quer fazer.

Walt, seu vizinho, é um dos meus personagens preferidos. Um velhinho semi-gagá, viciado em cinema, daquele tipo de velhinho que não tem como não se apaixonar. Parece que com o passar dos anos, ele aprendeu a ler as pessoas, não precisa de palavras para entender seus motivos.

Além dele, Leonard também se despede de seu professor Herr Silverman, que é outra figura. Aquele professor que gosta do que faz e se preocupa com os alunos, que tenta dar seu melhor. Também se Lauren e Baback. Personagens de sua idade, mas muito diferentes do protagonista, mas que de alguma forma mudaram sua vida.

O livro é escrito em primeira pessoa e com capítulos curtos - sou fã dos capítulos curtos, vocês sabem, dá uma agilidade na leitura e impulsiona que o próximo seja lido. Não é escrito para te emocionar, mas acaba emocionando. Leonard, embora tenha seus probleminhas, é um personagem com o qual se pode relacionar, entender.

O porquê dele querer fazer o que pretende só é explicado ao final do livro, porém, dá para adivinhar logo de cara (ou eu tenho lido muitos livros com essa temática). Não atrapalha em nada a leitura, até facilita em entender as motivações de Leonard.

Ele fala sobre sobreviver, sobre traumas, sobre família e sobre o indivíduo, em suas várias facetas. Leonard não teve uma família muito carinhosa, é verdade, mas ele não culpa seus pais pelas atitudes que toma. Mesmo adolescente, ele tem consciência do seu papel.

É um livro bastante triste, reconheço. Quando eu entrei nessa leitura, me encontrava triste também, mas ao terminá-la, senti um certo conforto. Me enxerguei em Leonard e - hey! - não estamos sós, parceiro! 

E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog no Google Friend Connect.



Comentários

  1. Sempre tive curiosidade de ler esse livro por causa to título, é que sei lá... Esse titulo me chama. Agora que li direitinho sua resenha, fiquei mais curiosa ainda em descobrir porque ele fez tudo isso aí. Vou baixar o livro e ler essa semana ainda se der <3

    heythay.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, recomendo. Ele mudou totalmente meu humor, de triste para faceira hehe

      Beijos!

      Excluir
  2. Faz tempo que quero ler esse livro por dois motivos: o título é bacana e eu simplesmente amei "O Lado Bom da Vida" que é do mesmo autor.
    Gostei da sua resenha, provavelmente vou ler o livro esse ano <3

    queissobela.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quero ler agora O Lado Bom da Vida, imagino que deva ser ótimo também! hehe

      Beijos

      Excluir
  3. Oi Rafa,
    Esse livro é otimo, né? Acredita q li em um dia?
    Mas apesar do leonard ser depressivo (e ter motivos suficientes para isso) e dar esse tom mais melancolico para o livro, n achei o livro triste.
    O livro entrou na minha lista de melhores do ano retrasado, e desde entao estou louco para ler outro livro do autor.
    PS: sim, tbm somos gaúchos! o sotaque entrega, né?
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooi, Alê!
      Sim, o sotaque entrega total! haha Mas é sempre bom encontrar conterrâneos perdidos pela internet :D
      Eu acredito totalmente! Esse livro vicia, vc quer saber o que vai acontecer no final. Também entrou para minha lista de favoritos. É muito amor s2

      Beijos!

      Excluir
  4. Só li resenha boa dele, há um tempo eu diria que ele fugia completamente do meu gosto, mas esse ano eu to tão aberta a novos estilos literários que adicionei ele na lista e logo, logo, comprarei.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!

      Se joga, Gabriela! Acho que vc não vai se arrepender. Eu também tenho me aventurado por uns gêneros diferentes e descobri ouro! haha

      Bjs

      Excluir
  5. Aii que saudade desse livro!!! Eu amei também, mas ao invés de animada ele me deixou bem pensativa e introspectiva na época! Pretendo reler algum dia com certeza!! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagino porque ficaste pensativa e introspectiva, ele trata de uns temas bem pesados msm.
      Acredito que mais pra frente eu também vou reler hehe amor s2

      Bjs

      Excluir
  6. Gostei muito da resenha e fiquei até com vontade de lê-lo ;)
    eu curto a escrita do autor, já li O Lado Bom da Vida.
    Talvez, em um futuro próximo, eu compre este livro para ler.

    Beijos,
    Nina.

    http://literatamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não li, Nina. Mas depois deste, vou ler, com certeza! Tentei saquear a estante da minha mãe, que o tem, mas ela emprestou -.- só espero que volte haha

      Beijos!

      Excluir
  7. Não conhecia esse livro, mas fiquei curiosa quanto aos detalhes, motivos, enfim...
    Vou escrever aqui na minha listinha haha
    www.iamcamilakellen.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A lista infinita, conheço bem, Camila! hahaha
      Pode colocar aí, ele é ótimo!

      Beijos

      Excluir
  8. Eu não conhecia esse livro, parece ser muito bom mesmo, adorei a resenha!
    Bisous,
    Blog Pequeno Muffin | Lara Reis
    www.pequenomuffin.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Rafa!
    Eu adorei "Perdão, Leonard Peacock".
    O que você falou sobre estar no momento certo para ler determinado livro é fundamental. Já aconteceu comigo de sentir que desperdicei um livro que poderia ter adorado por não ter sido o momento dele.
    Conforme você foi falando dos personagens de quem o Leonard quer se despedir, fui lembrando da história. Eu adorava o Walt e as milhares de referências deles aos filmes do Bogart, rsrs.
    Depois desse fiquei com muita vontade de ler outros livros do autor :)
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estou com essa vontade, vou pegar esse ano ainda - se tudo der certo - O Lado Bom da Vida hehe
      E com certeza! O momento que vc está vivendo influencia muito na leitura, já pensou pegar um romance quando vc está puta da cara? Ou pegar um Guerra dos Tronos quando vc quer mais amor? haha

      Beijos!

      Excluir
  10. É um livro meio estranho, mas eu gostei. Ele é bem misterioso e não permite que você saiba o que irá acontecer no capitulo seguinte... *-*

    www.eduardalins.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade! Por isso que viciei nele, acho. Só não terminei em um dia porque estava morrendo de sono, deixei umas 50 páginas para a manhã seguinte haha

      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

TBR Março/2016

Eu poderia ter vergonha de dizer que não concluí a minha meta de Fevereiro, porém, considerando que eu sempre soube que era ambiciosa, não tenho haha
Faltou ler: O Segundo Sexo, The Two Towers e Ases nas Alturas. Faltou em partes... o único que eu não consegui nem pegar para começar foi o Ases nas Alturas. Eu li metade de The Two Towers, restando a outra metade para março. E consegui ler mais uma parte d'O Segundo Sexo.
Então, não foi um fracasso total, né? Bom, estes livros vão passar para a meta de março com alguns acréscimos:
Fundação e Terra, continuando o box extra da Fundação. Estou loooouca para saber o que vai acontecer em seguida!
Clube da Luta, porque a Dani do Só Lendo comentou sobre e fiquei muito curiosa para saber o que eu iria achar. Terminei de ler ontem mesmo, e como eu nunca tinha percebido o sabonete na capa?
A luz fantástica do Terry Pratchett, seguindo com a série Discworld. Fiz a loucura de comprar a série inteira no sebo, agora tenho que ler. Começarei a ler h…