Pular para o conteúdo principal

Leituras da Semana #25


Passei duas semanas sem contar o que ando lendo. Hora de recuperar!


Está meio fora de ordem, mas vamos pela ordenação das fotos. Começando com Fahrenheit 451, que finalmente li! De início, eu não gostei tanto quanto esperava, mas depois de algumas páginas, me encantei. Gostei bastante dos textos anexos à esta edição também.


Seguindo com As Virgens Suicidas, que li para o Projeto 1001. Nossa, que livro fantástico. É daqueles que você já sabe o final, mas o autor guarda alguns toques para o finzinho que fazem toda a diferença.


Espíritos de Gelo. Logo que eu terminei a leitura, achei o final um pouco preguiçoso, como se o autor tivesse feito a opção comoda para explicar as coisas que aconteceram no livro. Mas, depois, pensando sobre o livro, descobri que na verdade gostei do final. É um livro bem rápido de ser lido e bem curioso também.


Este livro eu tinha sorteado na minha TBR dos Desafios, A Ferro e Fogo I, Tempo de Solidão. Ele trata sobre a colonização alemã no Rio Grande do Sul. É um livro bem forte, triste e, também, tem um final tão tocante. Fiquei besta com esse final!


Depois, li Ordem, continuação de Silo. Continuação entre aspas, pois ele não continua o primeiro livro, mas volta no passado para explicar o mundo de Silo. Devorei este livro, gostei muito também.


E terminei a semana lendo Agnes Grey. Primeiro, eu me apaixonei por esta capa, creio que é uma das mais lindas que tenho. A história é bem curta e rápida, sobre uma moça buscando a independência. Também gostei bastante!

E você? O que tem lido? Deixe nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora : Record Páginas : 220 Estrelas : ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977. Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora : Faro Editorial Páginas : 128 Estrelas : ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831. A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro

Vi na Livraria | A Taberna - Émile Zola

Um livro depravado do século XIX.