Pular para o conteúdo principal

Resenha | História de Mulheres - Rosa Montero

Editora: Pocket Ouro
Páginas: 215
Estrelas: ✬✬✬✬✬
Publicado em 1995.


O presente livro reúne, numa versão ampliada, um conjunto de biografias de mulheres que Rosa Montero começou por publicar no suplemento dominical do prestigiado jornal espanhol El País. Não são biografias académicas, nem simples artigos jornalísticos – frutos de uma visão muito pessoal e de um grande esforço de documentação, revelam sobretudo do campo da paixão, face a percursos extraordinários em que todavia cada um de nós se pode reconhecer.De Agatha Christie a Simone de Beauvoir, de Alma Mahler a George Sand, de Isabelle Eberhardt a Frida Kahlo, de Camille Claudel às irmãs Bronte, é uma notável galeria de mulheres que Rosa Montero nos desvenda neste seu livro, que constituiu em Espanha um dos grandes êxitos editoriais dos últimos anos.

Eu tinha comprado este livro numa promoção, curiosa com a sinopse e a capa. E como eu tenho uma pilha gigantesca de livros por ler, deixei-o por lá. Até que começaram a surgir várias resenhas de A Louca da Casa, da mesma autora. Então, puxei ele pra frente e me diverti imensamente com a leitura.

A proposta deste livro é excelente, são mini-biografias de mulheres ao longo do tempo que por algum motivo ou outro chamaram a atenção da autora. Então, quando ela vai contando sobre as mulheres da história, ela vai fazendo apontamentos sobre qualquer temática que apareça e todas, ou quase todas, a respeito do universo feminino e de ser mulher.

Algumas mulheres que ela cita, eu confesso que não conhecia ou mesmo não me interessei muito ao ler sobre elas. Outras, como Agatha Christie, Simone de Beauvoir e as irmãs Brontë, eu gostei bastante de ler sobre. Outras, mesmo sem conhecer, acabei gostando e querendo saber mais.

Mas mesmo nas que não estava tão interessada assim, os comentários da Rosa sobre alguns fatos das vidas de suas biografadas, foram fantásticos e me fizeram praticamente comer o livro.

É um livro sobre mulheres, fortes ou fracas, vilãs ou mocinhas, da antiguidade ou mais recentes. Mas todas fáceis de se relacionar, pois, afinal, são mulheres e a situação da mulher como um todo permanece através do tempo.

Ao ler, me encantei com todo esse universo feminino e suas peculiaridades. Foi bom conhecer mais algumas personalidades e interessante em acompanhar todas as semelhanças e diferenças nas vidas retratadas. É um daqueles livros um tanto "fofoqueiro" já que conta os babados de todas as mulheres citadas, mas é gostoso de ler. Agora, preciso d'A Louca da Casa, tipo, para ontem!


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Leituras da Semana #42

Nessa semana tirei do caminho um calhamaço de 800 páginas, Outlander - A viajante do tempo. Que livro bom, envolvente, da categoria é grande, mas é rapidíssimo de ser lido.

Conta a história de Claire, que vive em 1945, salvo engano. Ela é casada, mas passou afastada do marido graças à guerra, quando serviu de enfermeira. Eles estão finalmente indo construir um lar quando, num monumento escocês, um agrupado de pedras bem estranho, ela volta no tempo e reaparece 200 anos antes, na época dos clãs escoceses.

Lá, ela é obrigada a construir uma nova vida, pelo menos até que consiga voltar para o seu próprio tempo. Só que ela acaba envolvida numa outra guerra, e suspeitam que ela seja uma espiã inglesa. Bom, aí a vida complica. Mas ao mesmo tempo, ela conhece Jamie ♥ e até que não fica tão difícil assim viver sem banhos quentes.

Gostei muito do livro, acho que ele é super abrangente em temáticas, tem diálogos interessantes e engraçados e por mais que seja longo, as páginas foram bem explorad…