Pular para o conteúdo principal

Resenha | Espíritos do Tâmisa - Ben Aaronovitch

Enigmas de Londres #1
Editora: Casa da Palavra
Páginas: 368
Estrelas: ✬✬✬✬
Publicado em 2011.


Peter Grant tinha tudo para ser apenas mais um jovem guarda da Polícia Metropolitana de Londres. Após um encontro inesperado com um fantasma, contudo, ele é recrutado para uma unidade secreta que lida com a magia e o sobrenatural e torna-se o primeiro aprendiz em 50 anos do inspetor Nightingale, o último mago da Inglaterra.Peter Grant então precisa imediatamente lidar com dois casos inter-relacionados. No primeiro, ele deve descobrir quem é o espírito vingativo que anda transformando pessoas comuns em assassinos sanguinários. No segundo, aprender a investigar magia, conviver com grupos de vampiros, lidar com trolls e revirar covas pela cidade.Além, é claro, de negociar uma trégua entre deuses enfurecidos do rio Tâmisa caminhando por aí.
Com uma linguagem ágil e bem-humorada, Bem Aaronovitch narra a história de um detetive que achava o mundo normal, antes de conhecer o poder intenso e surreal da magia por detrás do submundo de Londres. Aclamado por público e crítica em sua estreia como romancista, o autor foi indicado ao Galaxy National Books Awards como "Autor Estreante do Ano", além de escrever roteiros para a série de televisão Doctor Who.

Esse é um livro bem diferente que eu gostei bastante de ler. Tive uma certa discussão com a minha mãe sobre quem deveria comprar o livro quando visitamos a Feira do Livro aqui da minha cidade, mas acabou que ela levou o lote. Entretanto, é claro que eu li.

Trata-se de uma história policial com requintes de magia. Ignorem o blurb da capa que especula que este livro seria o futuro de Harry Potter se ele se juntasse ao CSI e evitem frustrações. O livro merece se destacar pelos seus méritos.

Peter Grant vivia sua vidinha pacata, como novo recruta da polícia londrina, quando na investigação de um crime, se depara com uma testemunha fantasma. Assim, ele acaba descobrindo um departamento de um homem só, que é encarregado de solucionar esses crimes com um twist de sobrenatural.

Embora o livro seja voltado para o aspecto policial, o que mais me interessou foi a magia. Lá pelas tantas, descobrimos os espíritos do Tâmisa, que eu adorei! Primeiro, conhecemos a mãe do rio, e cada filha sua que "herdou" um riacho menos importante. Depois, conhecemos o pai do rio, que "mora" mais pra baixo e rola toda uma rivalidade entre eles.

Não digo que os crimes não sejam interessantes, eles são. Pessoas comuns acabam surtando "do além" e cometem atos de extrema violência. Mas o que eu mais gostei na história foi o desenvolvimento dos espíritos do Tâmisa mesmo.

O livro é engraçado, tem aquele humor irônico britânico que eu adoro. É super rápido de ler e divertido. Pretendo continuar lendo a série, assim que a digníssima senhora minha mãe comprar os seguintes hehe


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

  1. Oie! Eu li esse livro justamente pelo autor ter escrito roteiros para dw (série que eu amo de paixão). Eu realmente gostei desse livro quando li, li bem rápido, fiquei bem curiosa, quero ler os outros logo, hahaha.
    Bjs
    www.girlfromoz.com.br

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora: Faro Editorial Páginas: 128 Estrelas: ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831.

A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro até mesmo para desmasc…

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora: Record Páginas: 220 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977.

Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.