Pular para o conteúdo principal

Fechando agosto de 2015


Essa pilha acima era a minha TBR para o mês de agosto. Confesso desde já que não consegui cumprir com todos os livros, mas até que foi um mês satisfatório de leituras.


Da lista acima faltou ler: Tamanho não importa, E tem outra coisa, Murphy, Wild Cards 2 e Numbers. E estou ainda lendo o primeiro volume do Em Busca do Tempo Perdido.

Não consegui cumprir minha meta por dois motivos. Um, porque fui ambiciosa e fiz a TBR pelo número de páginas, queria ler 5.000 páginas no mês, o que é bem mais do que eu costumo ler normalmente. E dois, embora o mês tenha sido comprido, ele foi cansativo e cheio de coisas para fazer, vários dias eu estava tão cansada que preferi ver uma série ao invés de ler. Aaah, e lembrei de outro, eu tinha alguns livros atrasados da TBR do mês passado também, hehe.


Ainda assim, eu cumpri a minha meta mensal de 13 livros e me diverti bastante com as leituras. Não tem nenhum que eu possa dizer que não gostei, todos foram de bom para cima. Então, conto como desafio cumprido!

As leituras foram:

1- Escola dos Sabores - Erica Bauermeister
2- Razão e Sensibilidade e Monstros Marinhos - Ben H. Winters
3- Tamanho 44 também não é gorda - Meg Cabot
4- Espíritos de Gelo - Raphael Draccon
5- Fahrenheit 451 - Ray Bradbury
6- As virgens suicidas - Jeffrey Eugenides
7- Tempo de Solidão - Josué Guimarães
8- Ordem - Hugh Howey
9- Agnes Grey - Anne Bronte
10- O menino da lista de Schindler - Leon Leyson
11- Coração de tinta - Cornelia Funke
12- Faça boa arte - Neil Gaiman
13- Livraria Limítrofe - Alfer Medeiros

Ainda estou lendo No caminho de Swann, mas já estou pensando na TBR do mês de setembro. Quero ver se encaixo mais dos desafios deste ano (faltam 40 livros de desafio ainda, me perdi hehe). Espero ler mais e melhor, sempre.


E você? O que leu neste mês? Deixe nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Top 5 | Livros Apaixonantes

Amanhã é dia dos namorados, por isso, sugiro leituras apaixonantes, que aquecem o coração, seja por seus personagens marcantes ou pelo romance do livro. São livros que li recentemente e que saltaram à mente quando pensei nesse tema.

Resenha | Como pensar mais sobre sexo - Alain de Botton

Editora: Objetiva
Páginas: 152
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2012 com o título de How to Think More About Sex

Não pensamos muito sobre sexo; na verdade pensamos sobre ele da maneira errada. Assim declara Alain de Botton neste livro rigoroso e honesto cujo objetivo é nos guiar por esta experiência íntima e excitante – porém muitas vezes confusa e difícil - que é o sexo. Poucos de nós acreditamos ser completamente normais no que diz respeito ao sexo, e o que se presume que deveríamos estar sentindo raramente é a realidade. Este livro argumenta que o sexo do século XXI está fadado a ser um jogo de equilíbrio entre amor e desejo, aventura e comprometimento. Abrangendo assuntos como desejo, fetichismo, adultério e pornografia, Alain de Botton reflete sobre os dilemas da sexualidade moderna, oferecendo insights e conforto para nos ajudar a pensar mais profunda e sabiamente sobre o sexo que estamos, ou não, fazendo. A partir de meados do século XX, o discurso sobre o sexo foi s…