Pular para o conteúdo principal

Resenha | Apenas um dia - Gayle Forman


Apenas um dia #1
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Estrelas: ✬✬✬✬
Publicado em 2013.


A vida de Allyson Healey é exatamente igual a sua mala de viagem: organizada, planejada, sistematizada. Então, no último dia do seu curso de extensão na Europa, depois de três semanas de dedicação integral, ela conhece Willem. De espírito livre, o ator sem destino certo é tudo o que Allyson não é. Willem a convida para adiar seus próximos compromissos e ir com ele para Paris. E Allyson aceita. Essa decisão inesperada a impulsiona para um dia de riscos, de romance, de liberdade, de intimidade: 24 horas que irão transformar a sua vida.Apenas um Dia fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro... Muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos.

Essa é uma autora sucesso em vendas, mas que eu li só de metida, para ver o que era tudo isso. Já li e resenhei por aqui a outra duologia da autora Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi.

O negócio é que suas histórias são clichês gigantescos que deveriam me irritar, porém, de alguma forma, as histórias me conquistam e eu adoro ler. Não é minha autora favorita, mas seus livros são gostosos, se desenvolvem de uma maneira fácil de ser lida e tem aquela capacidade de puxar o leitor para a história.

Allyson vai fazer um intercâmbio na Europa e quando sua viagem está chegando ao fim, não quer que acabe. Na última noite de sua viagem, quando estão na fila esperando para assistir uma peça de Shakespeare, um grupo de atores independentes as convida para o espetáculo deles, uma outra peça de Shakespeare, a ser realizada ao ar livre. Curiosa, ela e uma amiga vão até a peça. Assim, ela conhece Willem, um dos atores.

No dia seguinte, no trem, ela reencontra Willem e conversando, ambos decidem ir à Paris, para passar o dia. Pausa da sinopse para dizer: quem fazer isso? Voltando, em Paris, eles passam um dia maravilhoso até que...

O livro é dividido em duas partes. A primeira é este dia que ambos passam juntos em Paris e na segunda parte, o ano que seguiu a este dia. Este dia em Paris é mais meloso que dose tripla de caramelo, mas é bonitinho, e se você gosta de romances, é certo que irá gostar. Mas nem tudo são flores e alguma coisa separa os dois e se passa um ano de crescimento para Allyson, de volta aos Estados Unidos.

É aquilo que eu falei antes, o livro tem uma história bem clichê e improvável, e se o leitor for um pouco cético, não vai gostar nada do que acontece. Entretanto, alguma coisa nos livros dessa autora fazem funcionar. Eu acabei envolvida com o que estava acontecendo no livro que o terminei na mesma noite em que comecei e fiquei dando gritinhos de frustração com o final que a autora preparou - isso não se faz.

Fiquei extremamente ansiosa para ler o segundo livro e saber como a história continuava. Como o livro tem muitos elementos românticos, não o vejo sendo lido por qualquer pessoa, eu recomendaria somente para quem gosta deste gênero. Mas eu gostei bastante e pretendo continuar lendo os livros da autora, mesmo sabendo dos seus defeitos. Para mim, a capacidade de me tirar do mundo por alguns instantes compensa o açúcar das histórias.


E você? Já leu? Deixe sua opinião nos comentários!
Siga o blog!



Comentários

  1. Aconteceu o mesmo comigo em se eu ficar, foi tão meloso, mas ao mesmo tempo tão sentimental que super me conquistou ~ e o filme também inclusive!

    Os livros da Paula Pimenta me dão a mesma sensação, tem algumas partes meio "wtf, onde isso acontece?", mas além da escrita que é boa os universos e personagens da Paula são super cativantes!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Resenha | Os Instrumentos Mortais - Cassandra Clare (parte 2)

Se vocês viram a parte 1 sobre Os Instrumentos Mortais, vocês sabem que eu dividi a série em duas trilogias para comentar por aqui. Naquele post eu explico que, na minha opinião, essa divisão é viável e facilita para comentar sem dar spoilers. Lembrando que terá spoilers dos livros anteriores.
Os três últimos livros da série são: Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial.
Bom, quero começar falando que graças a Deus no terceiro livro "descobrimos" que a Clary e o Jace não são irmãos. Eu já comentei na parte 1 que isso tinha ficado óbvio para mim desde o momento em que a autora resolveu dar essa guinada na história. Achei desnecessário, inacreditável e me irritou muito quando estava lendo.

Nessa segunda trilogia, há uma troca de vilões, agora Sebastian mostrou a que veio. Que, sinceramente, também é perceptível ao leitor desde que o personagem é introduzido.

Porém, tirando Cidade dos Anjos Caídos, que eu não gostei nada, acho que a história…

Resenha | Como pensar mais sobre sexo - Alain de Botton

Editora: Objetiva
Páginas: 152
Estrelas: ✬✬✬✬
Skoob
Publicado originalmente em 2012 com o título de How to Think More About Sex

Não pensamos muito sobre sexo; na verdade pensamos sobre ele da maneira errada. Assim declara Alain de Botton neste livro rigoroso e honesto cujo objetivo é nos guiar por esta experiência íntima e excitante – porém muitas vezes confusa e difícil - que é o sexo. Poucos de nós acreditamos ser completamente normais no que diz respeito ao sexo, e o que se presume que deveríamos estar sentindo raramente é a realidade. Este livro argumenta que o sexo do século XXI está fadado a ser um jogo de equilíbrio entre amor e desejo, aventura e comprometimento. Abrangendo assuntos como desejo, fetichismo, adultério e pornografia, Alain de Botton reflete sobre os dilemas da sexualidade moderna, oferecendo insights e conforto para nos ajudar a pensar mais profunda e sabiamente sobre o sexo que estamos, ou não, fazendo. A partir de meados do século XX, o discurso sobre o sexo foi s…