Pular para o conteúdo principal

Série | Penny Dreadful - Primeira Temporada

Olá, tudo certo por aí?

Título Original: Penny Dreadful
Dirigido por: Coky Giedroyc, J.A. Bayona, James Hawes.
Emissora: HBO (Brasil).
Elenco: Eva Green, Reeve Carney, Timothy Dalton e mais...
Gênero: Drama, Suspense, Terror.
Duração: 50 minutos (Cada episódio)
Enredo: Em Penny Dreadful, alguns dos personagens mais famosos e assustadores da literatura mundial, como o Dr. Frankestein e sua criação, o eternamente jovem Dorian Gray e icônicas figuras do romance Dracula, estão todos vivendo nos cantos obscuros de Londres Vitoriana.





                Casos sobrenaturais, demônios, vampiros e personagens clássicos. Tudo isso em uma única série, esse é o caso de Penny Dreadful. E onde mais essa série poderia se ambientar senão na Londres vitoriana. O local perfeito para todos os seres místicos e clássicos existirem.
                Penny Dreadful foi uma série que conseguiu me ganhar em seus primeiros minutos. Com um toque de terror e suspense bastante forte, ela tem a capacidade de entreter e cativar vários públicos. Acho difícil você assistir e não gostar.
                A série foca na busca de Sir Malcolm e Vanessa Ives para encontrar a filha de Sir Malcolm, Mina. Essa que teria sido “capturada” por um ser diferente de nós. Durante essa busca um grupo diferente vai se formando, uma “Liga Extraordinária”.
                Durante essa busca, vários personagens clássicos e históricos vão entrando na história, alguns apenas mencionados, como no caso de Jack o Estripador. Outros já fazem parte da série como personagens fixos, como no caso Dr. Frankenstein e Dorian Gray. Apesar de que, eu ainda não entendi o papel de Dorian Gray na história.
                A primeira temporada foca bastante na busca por Mina, mas vai trazendo várias dicas sobre o decorrer dos episódios. Nos mostra a importância de Vanessa Ives na história ainda não revelada. E diversos seres sobrenaturais.
                Outra coisa legal de reparar, além das “dicas” que vão aparecendo nos episódios. É reparar nos nomes dos personagens apresentados. Um exemplo, a própria Mina. Se você sabe que ela é, já sabe quais são os seres sobrenaturais que a “levaram”.
                A série é estrelada por Eva Green, que faz a personagem Vanessa Ives. Acho que todo mundo sabe que Eva Green dispensa apresentações, mas caso você não se lembre de quem ela é, eu ajudo. Ela fez Artemisia em 300: A Ascensão do Império. Ava Lord em Sin City. E mais alguns por ai. Resumindo, ela é uma baita atriz, e não é diferente em Penny Dreadful.
                A primeira temporada de Penny Dreadful conta com 8 episódios.

Nota: ✬ 4 estrelas

Bah 1: Vale lembrar, rola peitinho, bundinha e pintinho na série.
Bah 2: Por isso a classificação é 16 anos.
Bah 3: Segura a onda DG. Better to burn out, than to fade away".

E você, já assistiu Penny Dreadful? O que achou? Não poupe seu teclado, deixe um comentário.

Siga o blog!

Comentários

  1. Eu ouvi coisas ótimas sobre essa série, e a presença da Billie Piper me deixa com mais vontade ainda de assistir. Mas é terror, o computador fica na sala de estar... É melhor eu deixar ela de lado. Por um tempo. Meus 13 anos não me deixam assistir essa série por completo.
    photo-and-coffee.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, jóia?

      Olha, caso você veja Game of Thrones, não vejo problemas em assistir Penny Dreadful. Sobre ser terror, nem causa tanto medo assim, E quem tá te dizendo isso sou eu, um baita de um medroso hahahaha

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora: Faro Editorial Páginas: 128 Estrelas: ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831.

A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro até mesmo para desmasc…

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora: Record Páginas: 220 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977.

Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.