Pular para o conteúdo principal

Resenha | Cinderela Pop - Paula Pimenta


Princesas Modernas #2
Editora: Galera Record
Páginas: 160
Estrelas: ✬✬✬
Publicado em 2015.

Nesta versão estendida do super conto de Paula Pimenta no Livro das Princesas, Cinderela é reinventada. Cintia é uma princesa dos dias atuais: antenada, com opiniões próprias, decidida e adora música! Mas a garota vê seu cotidiano virar de cabeça para baixo depois da separação dos pais: vai morar com a tia, se afasta do pai e, principalmente, deixa de acreditar no amor. Até que um encontro inesperado e revelador a faz rever as próprias escolhas – havia mesmo um belo príncipe em sua história, e tudo que ele mais queria era descongelar o coração da nossa gata (nada) borralheira!

Se tem uma coisa que eu adoro, por alguma razão, são releituras. Nessa série da Paula Pimenta, a proposta é fazer modernizações dos contos de fadas. O primeiro livro da série é Princesa Adormecida.

Quando eu vi o lançamento, fui atrás. Ao começar a leitura, fiquei com uma sensação de já ter lido esse livro antes. No segundo parágrafo, me lembrei. Eu já li essa história, ela está n'O livro das Princesas.

Eu continuei lendo, esperando que somente o início fosse igual, com certeza deveria ter alguma coisa inédita. Não é possível que esse livro seja um repeteco do que já tinha sido publicado antes. Bom... tirando algumas gravuras, o resto está igual.

Aí eu fico dividida, porque quando li da primeira vez essa história, eu gostei. Achei divertida, engraçada, bem compassada e construída. Porém, minha decepção foi tão grande em encontrar nesse livro exatamente a mesma história, que minha vontade é dizer que ele é horrível.

Se a autora não se deu ao trabalho de escrever uma história diferente, eu também não vou buscar palavras diferentes para descrevê-lo. Segue o pequeno comentário que eu fiz na resenha do Livro das Princesas:

"Depois, da Paula Pimenta veio Princesa Pop. Esse serviu de bandeja todas as emoções possíveis. Já tinha lido Princesa Adormecida da autora e ficado curiosa com a DJ Cinderela. Senti que ela espaçou melhor os acontecimentos e foi super gostoso de ler. Conta a história da DJ Cinderela, que promove seus shows escondidos e conhece um rapaz misterioso numa das festas que ela está trabalhando."


E você? Deixe sua opinião nos comentários!




Comentários

  1. Gente! Como assim, o mesmo, mesmo? Mas o conto nem tinha tamanho de livro! Tô passada!! E muito triste! Tinha gostado muito do conto também e queria o livros! =[

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha | Papillon - Henri Charrière

Editora: Bertrand Páginas: 728 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado originalmente em 1969 com o título de Papillon

Charriere, condenado à prisão perpétua por um assassinato que não cometeu, foi um dos poucos que conseguiram fugir da Ilha do Diabo, presídio localizado na floresta impenetrável da Guiana Francesa, onde os presos pagavam por seus crimes sofrendo degradações e brutalidades. No livro, ele relata como foi acusado, fala de seu martírio ao longo dos anos de confinamento, além da corrupção entre os guardas e como planejou sua fuga cinematográfica. Quando publicado na França, “Papillon” foi alvo de grande controvérsia. Nunca se soube ao certo se os acontecimentos narrados de fato ocorreram com o autor, como ele alega – o que faria do livro um romance autobiográfico –, ou se a trama é fruto de sua fértil imaginação. “Papillon” é um dos relatos mais impressionantes e realistas de toda a literatura, um feito incrível de engenhosidade humana, força de vontade e perseverança. A história de um …

Resenha | A Arte de ter Razão - Arthur Schopenhauer

Editora: Faro Editorial Páginas: 128 Estrelas: ✬✬✬ Skoob Publicado em 1831.

A forma como nos comportamos socialmente não mudou muito desde Aristóteles. Partindo dos escritos do pensador grego, Schopenhauer desenvolve em sua Dialética Erística, 38 estratégias sobre a arte de vencer um oponente num debate não importando os meios. E, para isso, mostra os ardis da maior ferramenta que todos possuímos, a palavra. Usar argumentos e estratégias certas numa conversa é uma arma poderosa em qualquer momento. E tanto vale para quem quer reforçar um talento, evitar ciladas dialéticas, ou simplesmente estar bem preparado para negociações ou qualquer outra ocasião que exija argumentação... o que acontece em todos os momentos da vida. Essas estratégias não foram inventadas por Schopenhauer. Seu trabalho foi identifica-las, reuni-las de modo coerente, mostrando como são utilizadas, em quais momentos elas surgem em meio a uma discussão, de modo que você possa utilizar-se deste livro até mesmo para desmasc…

Resenha | Primeiro ano - Scott Turow

Editora: Record Páginas: 220 Estrelas: ✬✬✬✬ Skoob Publicado em 1977.

Ao narrar as angústias, as dificuldades, os desafios e os triunfos que marcaram seu primeiro ano na Faculdade de Direito de Harvard, Scott Turow denuncia problemas surpreendentes no sistema de educação jurídica de uma das mais antigas e conceituadas instituições de ensino dos Estados Unidos. Um relato dramático e um importante depoimento do autor.